Bolsonaro anuncia saída do Brasil da Unasul após crise entre países

Presidente detalha a criação de novo bloco de cooperação internacional. Palácio do Itamaraty atribui ruptura a "prolongada crise"

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 16/04/2019 10:18

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou pelo Twitter que o Brasil deixará a União das Nações Sul-Americanas (Unasul) – grupo que chegou a reunir 12 países. O chefe do Palácio do Planalto publicou a informação na madrugada desta terça-feira (16/04/19) para destacar a formalização feita pelo chanceler Ernesto Araújo.

Segundo Bolsonaro, o Brasil passa a fazer parte do Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosul). O novo grupo é composto por Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai e Peru.

“Os únicos membros que seguem ativos na Unasul são Uruguai, Guiana, Bolívia, Suriname e Venezuela. A Unasul nasceu em 2008 como um projeto do então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sendo apoiado por Lula”, frisa o presidente.

O Palácio do Itamaraty explica a saída em nota oficial. “A decisão foi comunicada oficialmente ao governo do Equador, país depositário do acordo, e surtirá efeitos transcorridos seis meses a contar da data de hoje”, destaca o documento.

Na prática, o Brasil – junto de Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru – desde abril do ano passado, suspendeu a participação na Unasul “em função da prolongada crise no organismo, quadro que, desde então, não se alterou”.

Em 22 de março, Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai e Peru assinaram documento para indicar a formação do Foro para o Progresso da América do Sul (Prosul).

“O novo foro terá estrutura leve e flexível, com regras de funcionamento claras e mecanismo ágil de tomada de decisões. Terá, ainda, a plena vigência da democracia e o respeito aos direitos humanos como requisitos essenciais para os seus membros”, finaliza o texto.

O governo da Bolívia assumiu a presidência do bloco em 12 de abril do ano passado. Contudo, nessa segunda-feira (15/04/19), entregou ao Brasil o mandato temporário de um ano na presidência do bloco. O país recusou.

Início da crise
Na Unasul há uma divisão entre duas alas distintas. A liderada pela Bolívia, mais progressista, e outra capitaneada pela Argentina, que é mais conservadora. Atualmente, os conservadores dominam o bloco.

Criada em 2008, a Unasul foi uma iniciativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dos ex-presidentes da Venezuela Hugo Chávez e da Argentina Néstor Kirchner. O objetivo era incentivar a integração regional.

Veja os países que deixaram a Unasul:

Brasil
Argentina
Chile
Colômbia
Paraguai
Peru

Últimas notícias