metropoles.com

Benefícios do governo a militares custarão R$ 27,7 bilhões até 2022

A título de comparação, investimento daria para comprar 526,6 milhões de doses da vacina AstraZeneca contra a Covid-19

atualizado

Compartilhar notícia

Igo Estrela/Metrópoles
Chefes Bolsonaro Forças Armadas
1 de 1 Chefes Bolsonaro Forças Armadas - Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Os benefícios concedidos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a policiais, bombeiros e membros das Forças Armadas vão custar cerca de R$ 27,7 bilhões aos cofres públicos até o fim de 2022.

É o que mostra levantamento feito pelo jornal Estado de São Paulo, divulgado em reportagem deste sábado (18/9). Durante a gestão Bolsonaro, as categorias receberam aumento de salários, cargos comissionados no Executivo e um programa habitacional.

A título de comparação, os R$ 27,7 bilhões investidos em favor das categorias dariam para comprar 526,6 milhões de doses da vacina AstraZeneca contra a Covid.

Além disso, o valor poderia ser utilizado para construir 3,3 mil escolas públicas de ensino básico no Distrito Federal. O montante também é suficiente para comprar 180,4 mil ambulâncias para o Sistema Único de Saúde.

Habite Seguro

Na última segunda-feira (13/9), o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Anderson Torres, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, lançaram o Habite Seguro, programa habitacional destinado a profissionais da Segurança Pública do país.

Poderão financiar a casa própria por meio do benefício servidores da ativa, reformados e aposentados. O programa tem como prioridade os agentes, tanto da segurança pública quanto da defesa social, que tenham renda bruta mensal de até R$ 7 mil.

Quem estiver acima dessa faixa salarial também poderá ser atendido pelo programa, porém, terão taxas de juros e benefícios diferenciados. O programa deve custar R$ 183,9 milhões aos cofres públicos até o final de 2022.

0
Reajustes salariais

Somados aos gastos com militares estão os valores empenhados no reajuste de salários a policiais militares, civis e bombeiros no Distrito Federal, no Amapá, em Rondônia e Roraima.

O custo estimado é de R$ 1,64 bilhão até o fim de 2022. As categorias foram beneficiadas durante a pandemia de Covid-19, ao mesmo tempo que diversos servidores tiveram salários congelados.

O aumento de salários e adicionais para militares das Forças Armadas também entra na lista de benefícios: serão R$ 21,16 bilhões gastos até o fim de 2022.

Cargos

Além dos programas e reajustes salariais para as categorias, o governo Bolsonaro foi responsável por integrar cerca de 6.157 homens das Forças Armadas, da ativa e da reserva, em postos civis do Executivo.

Os números são de um levantamento realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Em junho deste ano, a Presidência da República publicou decreto que libera a permanência de militares nestas posições por tempo indefinido.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações