Bebê que morreu na PB tinha marcas de mordidas e de cigarro no corpo

Médico diz que o menino chegou a hospital da Paraíva com sinais de maus-tratos e de morte encefálica, e não resistiu

atualizado 31/03/2022 11:02

Em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (31/3), sobre a morte do bebê de um ano e três meses que deu entrada em estado grave no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa (PB), o diretor da unidade de saúde, Laécio Bragante, disse que o menino chegou ao hospital com sinais de maus-tratos e de morte encefálica.

“Essa criança chegou aqui ao hospital ontem (terça-feira), por volta das 22h, mostrando sinais de grave agressão e de morte encefálica. Só respirava com a ajuda de aparelhos. Todos os cuidados foram aplicados e empreendidos. Ela foi conduzida à UTI do hospital, mas não havia indicação de nenhum procedimento cirúrgico. Só de tratamento clínico e de suporte avançado”, disse.

Laércio afirmou que o bebê apresentava “múltiplas lesões em todo o corpo. Crânio, rosto, tórax, abdômen e membros inferiores. São clássicas da criança agredida”, afirmou. Ainda segundo Laércio, não eram lesões recentes. Algumas eram como “marcas de cigarro” e mordidas.

Leia a reportagem completa no Portal T5, parceiro do Metrópoles

 

 

Mais lidas
Últimas notícias