Áudio: “Eu fui esfaqueado!”, diz repositor agredido em supermercado

PM foi chamada depois de Max Pereira Lima fugir de agressor enquanto trabalhava em Goiânia. Funcionário levou facadas até perto dos olhos

atualizado 25/03/2022 11:05

Max Pereira Lima mostra os cortes de faca que levou, em Goiânia, GoiásReprodução: TV Anhanguera

Goiânia – Um repositor de mercadorias foi esfaqueado dentro de um supermercado em área nobre da capital goiana por um homem que invadiu o estabelecimento. A vítima pediu ajuda por meio de um áudio enviado a colegas. Segundo ocorrência da Polícia Militar (PM), havia “sangue por todos os lados” no local.

“Socorro! Eu fui esfaqueado! Eu tô fugindo do Pão de Açúcar! Alguém me ajuda! Eu tô fugindo!”, diz Max Pereira Lima, de 26 anos, no áudio.

Ouça áudio, abaixo:

O repositor levou golpes de faca enquanto trabalhava na madrugada de quarta-feira (23/3), no Setor Bueno, região nobre de Goiânia. Ele enviou a gravação a colegas enquanto tentava fugir do local.

“Cortes profundos”

“Quando ele foi para cima de mim, eu estava com uma impressora na mão e com uma cadeira na minha frente. Peguei a cadeira e comecei a usar como escudo. Tive cortes profundos no braço e levei facadas no rosto, mas, Graças a Deus, não pegou em nenhum órgão vital”, contou Max na ocorrência policial.

Max disse que foi surpreendido pelo homem, que pedia dinheiro. Segundo o repositor, ao falar que não tinha, foi atacado, e eles entraram em luta corporal. No momento em que Max tentou tirar a faca das mãos do bandido, os dois caíram no chão.

Facadas no rosto

O repositor disse à polícia que, em seguida, o criminoso o empurrou com os pés e, por isso, conseguiu se desvencilhar e correr dele, mas caiu na escada. Nesse momento, o bandido o alcançou, deu facadas em seu rosto, na região perto do olho esquerdo e da orelha e mordeu seu nariz.

Max também contou que tentou conversar com o criminoso, dizendo que iria passar dinheiro para ele e um aparelho celular, que estaria na sala da gerência. Ao se afastar um pouco, o bandido percebeu que o repositor queria fugir e arremessou um extintor na direção do funcionário. O repositor conseguiu se esquivar e correr.

Ao correr dentro do supermercado, o repositor esbarrou em garrafas de cerveja, que caíram, e, logo em seguida, começou a arremessar outras na direção do agressor, para que parasse. Max conseguiu sair do estabelecimento e gritou por socorro na rua, momento em que também disse ter enviado áudio aos colegas, que chamaram a polícia.

Rastro de sangue

Ao entrar no supermercado, segundo o boletim de ocorrência, policiais militares viram várias garrafas quebradas e objetos no chão. Um rastro de sangue seguiu até o segundo andar, onde encontraram um blusão azul jogado na escada e, também, o extintor.

O repositor foi socorrido em um hospital em Goiânia, de onde foi liberado. Ele teve ferimentos, mas passa bem.

Em nota à TV Anhanguera, o Grupo Pão de Açúcar disse que a central de monitoramento da rede acionou a polícia assim que a ação foi identificada e que encaminhou o funcionário ao hospital para cuidados médicos. Disse também que está prestando todo apoio às autoridades e ao colaborador.

Mais lidas
Últimas notícias