Até R$ 200 mil: saiba o que tem numa UTI aérea e por que custa tão caro

O serviço é de alto padrão e está disponíveis para quem pode pagar caro para salvar a vida. E não, não são poucas pessoas

atualizado 11/07/2020 9:36

A pandemia do novo coronavírus aumentou a demanda pelo transporte em Unidades de terapia Intensiva (UTI) aéreas. O serviço de alto padrão tem preço custo elevado. Uma viagem – dependendo do destino e outras variáveis – pode custar entre R$ 15 mil a R$ 200 mil.

Achou caro? Pois saiba que Elias Elijah, gestor de relacionamento da Sete Táxi Aéreo – empresa instalada em Goiás – disse ao LIVRE que já realizou mais de 70 voos durante a pandemia só com pacientes mato-grossenses, a maioria deles com Covid-19.

“É comum ao olhar o valor de um voo aeromédico, mesmo que seja de 1h30, e ter a sensação de que custa caro. No entanto, antes de realizar aquele voo existe todo um planejamento e atividades incluindo dezenas de profissionais. Às vezes, é um voo de 1h30 e mobiliza: coordenadores de voo, enfermeiro, médico, aeronave, tripulação e outros profissionais, basicamente, o dia inteiro”, ele argumenta.

Leia a reportagem completa no portal O Livre, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias