Após reunião com Bolsonaro, ex-advogado de hacker diz que foi ameaçado

Ariovaldo Moreira disse à Polícia Civil de São Paulo ter recebido ameaças contra ele e familiares em mensagens recebidas pelo WhatsApp

atualizado 14/08/2022 17:44

Hugo Barreto/Metrópoles

O ex-advogado do hacker Walter Delgatti, Ariovaldo Moreira, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de São Paulo por ameaça, no sábado (13/8).

Moreira alegou que recebeu ameaças de morte contra ele e familiares após reunião com “autoridades relacionadas ao governo federal”, em Brasília. O advogado e Delgatti estiveram na capital federal após convite da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

O hacker da Lava Jato também esteve no Palácio do Alvorada, com o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Exclusivo: há um escândalo por trás da história do hacker

Segundo Moreira, as ameaças foram enviadas por meio do WhatsApp, por áudios e texto. Ele decidiu, contudo, não divulgar o teor das mensagens.

“A vítima, informando que após abdicar da defesa de cliente relacionado com a Operação Spoofing da Polícia Federal, fatos amplamente divulgados pela mídia nacional, recebeu ameaças de morte, envolvendo seus familiares. Informa, ainda, que as mensagens de morte vieram por áudio e escrito, pelo aplicativo WhatsApp, […] cuja identificação do perfil é ‘morte'”. […] A vítima se compromete a apresentar prints das ameaças e áudio em mídia própria. A vítima manifesta o desejo de representar contra os autores das ameaças após sua identificação”, diz o boletim, obtido pelo Metrópoles.

Na quarta-feira (10/8), quando Delgatti se encontrou com Bolsonaro, Moreira decidiu deixar a defesa do hacker.

Mais lidas
Últimas notícias