Após morte, indígenas denunciam invasão de aldeia e ameaça a moradores

Segundo eles, homens armados tomaram conta da Aldeia Wajãpi; Funai, Polícia Federal e Bope já estão no local

Reprodução

atualizado 29/07/2019 11:25

Representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), além de homens da Polícia Federal e do Batalhão de Operações Especiais (Bope), chegaram neste domingo (28/07/2019) à Terra Indígena Wajãpi após a denúncia da morte do líder Emyra Wajãpi, nessa segunda-feira (22/07/2019).

O Conselho das Aldeias Wajãpi (Apina) informou neste domingo, por meio de nota, que um grupo de homens armados invadiu a aldeia Yvytotõ na noite dessa sexta-feira (26/07/2019) e, desde então, ameaça moradores da região. Segundo a entidade, a presença deles assustou os indígenas que, com medo, fugiram para a aldeia Mariry.

A entidade pediu o apoio da Funai e da polícia para controlar a situação. “Os guerreiros Wajãpi ficaram de guarda próximo ao local onde os invasores se encontram e nas aldeias que ficam na rota de saída da terra indígena”, relatou a entidade na nota. O conselho afirmou ainda que tiros foram ouvidos na noite desse sábado (27/07/2019) na aldeia Jakare, próximo à BR-210.

A Funai informou, também por meio de nota, que ao tomar conhecimento da situação, acionou autoridades, a PF e o Bope.

“Neste domingo, após a chegada de servidores da Fundação, da Polícia Federal e do BOPE, foi aberto inquérito para apuração da morte de um cacique que foi a óbito na semana passada. Servidores da Funai encontram-se no local e acompanham o trabalho da polícia. Assim que tivermos informações oficiais sobre o caso, atualizaremos”, diz o documento.

Entenda
Nessa segunda-feira, o grupo denunciou a morte do líder indígena Emyra Wajãpi. “A morte não foi testemunhada por nenhum Wajãpi e só foi percebida e divulgada para todas as aldeias na manhã do dia seguinte [terça-feira]”, relatou o conselho.

Segundo lideranças da aldeia e funcionários da Secretaria Estadual dos Povos Indígenas, o cacique foi atacado enquanto voltava da casa da filha e o corpo foi encontrado dentro de um rio.

O vereador Jawaruwa Wajãpi (Rede), do município de Pedra Branca do Amapari, a 189 quilômetros da capital Macapá, afirmou que esteve na aldeia e pediu apoio ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). “Estamos pedindo socorro, estamos pedindo seu apoio para ver se libera as Forças Armadas ou qualquer ajuda. Uma comunidade Wajãpi está em risco de morte”, disse em áudio enviado pelo WhatsApp.

Últimas notícias