*
 

Após linchamento que resultou na morte do suspeito de estuprar e matar uma adolescente de 14 anos, pelo menos 16 policiais civis e militares foram enviados nesta segunda-feira (9/7) à Borba, município de Amazonas que 151 quilômetros de Manaus. A informação é do site A Crítica.

A policia investiga quantas pessoas participaram do crime. O delegado-geral da Polícia Civil, Mariolino Brito, classificou o ato como “medieval” e informou que o inquérito para identificar as pessoas que lincharam e mataram o suspeito Gabriel Lima Cardoso, de 18 anos.

Segundo a reportagem, os envolvidos serão acusados de crimes como: homicídio, dano ao patrimônio público, ameaça, incêndio criminoso e uso de rojão para constranger policiais.

O caso
Gabriel Lima Cardoso foi queimado e linchado numa via pública na  noite de domingo (8) no município de Borba. O acusado estava preso no quartel da Polícia Militar era o principal suspeito do estupro e morte de uma adolescente de 14 anos.

De acordo com o veículo, dezenas de pessoas invadiram o quartel da PM e tiraram o homem do local, em seguida se deu o linchamento. O secretário de Segurança do Estado, coronel Anésio Paiva, afirmou que alguns policiais chegaram a ser feridos pela população na invasão ao quartel.

De acordo com o coronel, a Polícia Civil havia solicitado à Justiça transferência do preso para Manaus. Gabriel foi detido neste domingo (8),mas o crime contra a jovem de 14 anos aconteceu no último dia 4.