Após cirurgia, siamesas se recuperam da colocação de expansores em UTI

Procedimento, que faz parte do processo de separação das gêmeas siamesas, durou cerca de 2h e mobilizou cerca de 20 profissionais em Goiânia

atualizado 09/03/2022 17:57

goias siamesas Divulgação

Goiânia – As gêmeas siamesas, Valentina e Heloá, de dois anos, passaram, na manhã desta quarta-feira (9/3), no Hospital Estadual da Criança e do Adolescente (Hecad), na capital goiana, pelo terceiro procedimento cirúrgico para colocação de expansores de pele. As cirurgias são preparativos para a cirurgia de separação das irmãs, prevista para o segundo semestre deste ano.

Após o procedimento, as crianças estão em observação em uma unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital, ainda sem previsão de alta médica. As siamesas estão acompanhadas dos pais e passam bem. A cirurgia teve aproximadamente 2h de duração e mobilizou cerca de 20 profissionais.

As meninas são unidas por parte do tórax, abdômen, bacia, intestinos delgado e grosso, fígado e genitália.

Família

O pai das meninas, Fernando do Oliveira Santos, afirmou que a família optou pela cirurgia de separação, pois as meninas se machucam muito.

“Elas unham, se mordem, se machucam muito. Agora já melhorou bastante, mas se para nós já é dificultoso, imagina para elas?”, disse ele.

As irmãs são de Guararema, no interior de São Paulo, mas estão morando com os pais Fernando e Waldirene de Oliveira no município de Morrinhos, a cerca de 132 km de Goiânia. Os familiares vieram para Goiás para ficarem mais próximos da capital goiana e facilitar a logística para a realização dos procedimentos.

Mais lidas
Últimas notícias