Anac suspende todos os voos da Avianca Brasil por tempo indeterminado

Agência recomenda que passageiros não se desloquem para o aeroporto sem confirmação da partida. Veja viagens canceladas em Brasília

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 24/05/2019 17:32

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nesta sexta-feira (24/05/2019) que suspendeu “cautelarmente” todas as operações da Avianca Brasil. De acordo com a agência, os voos da companhia serão interrompidos até que a empresa comprove capacidade operacional.  A decisão atinge passageiros de pelo menos nove voos que sairiam ou chegariam ao Aeroporto Internacional de Brasília.

O comunicado foi feito por meio de nota oficial. Segundo a Anac, a iniciativa foi tomada com base em informações prestadas pela Avianca à área responsável por segurança operacional.

Veja os voos cancelados em Brasília:

  • Voo 6061 – Brasília – São Paulo (Congonhas)
  • Voo 6063 – Brasília – São Paulo (Congonhas)
  • Voo 6065 – Brasília – São Paulo (Congonhas)
  • Voo 6173 – Brasília – São Paulo (Congonhas)
  • Voo 6060 – São Paulo (Congonhas) – Brasília
  • Voo 6062 – São Paulo (Congonhas) – Brasília
  • Voo 6064 – São Paulo (Congonhas) – Brasília
  • Voo 6172 – São Paulo (Congonhas) – Brasília
  • Voo 6232 – Rio de Janeiro (Santos Dumont) – Brasília

Por fim, a agência recomenda aos passageiros com voos nos próximos dias que entrem em contato com a Avianca e não se desloquem para o aeroporto sem que nenhuma nova informação seja divulgada.

A empresa segue obrigada, de acordo com a Anac, a cumprir integralmente a legislação que prevê oferta de opções como reembolso e reacomodação.

Crise na Avianca
A Avianca está em recuperação judicial desde dezembro de 2018. Desde então, a empresa ja cancelou milhares de voos e suspendeu a operação em diversos aeroportos – no final de abril, a empresa opera em apenas nos aeroportos de Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Brasília e Salvador.

Na semana passada, funcionários da Avianca protestaram em dois aeroportos do país. Eles alegam que não estão recebendo salários e nem depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

A empresa, que é a quarta maior do país, acumulava dívida de R$ 493,8 milhões em dezembro.

Últimas notícias