Alunos que organizaram trote com creolina pagam fiança e são soltos

O grupo deixou a prisão nessa sexta (1º/4), após cada um pagar fiança de R$ 10 mil. Todos serão monitorados por tornozeleira eletrônica

atualizado 02/04/2022 20:27

pessoa com a pele queimada coberta com pomadaCorreio do Ar

Três dos quatro estudantes suspeitos de lesão corporal e constrangimento a calouros durante trote violento na Universidade Federal do Paraná (UFPR) de Palotina, no oeste do estado, deixaram a prisão nessa sexta-feira (1º/4), após cada um pagar fiança de R$ 10 mil. O grupo confessou ter jogado creolina sobre o corpo dos calouros e provocado queimaduras.

Os suspeitos saíram com monitoramento de tornozeleira eletrônica. O trote, segundo a Polícia Civil paranaense, foi organizado por alunos do curso de medicina veterinária, para recepcionar os novos estudantes do curso na quarta-feira (30/3).

A universidade informou que analisa o caso, que pode resultar na expulsão dos alunos. A polícia investiga a participação de mais envolvidos no trote.

A recepção aos calouros ocorreu em um terreno baldio em frente à universidade. Imagens divulgadas mostram como os alunos ficaram.

Veja imagens das vítimas:

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

O caso

Em entrevista ao UOL, a diretora do Campus da UFPR em Palotina, Yara Moretto, disse que a previsão inicial da investigação é de dois meses, mas torce para que o resultado oficial saia o mais rapidamente possível.

“Já abrimos um processo administrativo interno. Vamos averiguar a conduta desses acadêmicos, e o que levou a praticar esse ato tão indignante”, disse Moretto.

“A expulsão não está descartada, e essa é a punição mais severa da federal. Eles serão julgados, com direito à ampla defesa, e a penalidade será aplicada. Em outra frente, estamos acolhendo as vítimas e prestando apoio neste momento difícil”, concluiu.

Nessa sexta-feira, as vítimas passaram por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Palotina.

Os quatro estudantes presos são duas meninas e dois rapazes com idades entre 21 e 23 anos. Todos foram indiciados por lesão corporal grave — pois uma das vítimas desmaiou e ficou internada por um dia — e também por constrangimento ilegal, sem direito a fiança.

Mais lidas
Últimas notícias