Aglomeração: Luau no Arpoador reúne 2 mil pessoas na madrugada de domingo

O Luau Bateu a Onda aconteceu em um momento em que a média móvel de novos casos de coronavírus no Rio de Janeiro voltou a crescer

atualizado 15/11/2020 18:41

Pessoas aglomeradas em luau no Rio de Janeiro

Moradores da Zona Sul do Rio de Janeiro registraram reclamações de aglomeração no Arpoador na madrugada deste domingo (15/11). No local, acontecia o Luau Bateu a Onda, que reuniu cerca de 2 mil pessoas no horário de pico da festa, às 4h, nas areias da praia. Pessoas sem máscara dividiram o mesmo espaço, sem respeitar as regras de distanciamento social.

Antes mesmo do ocorrido, apenas pelo evento publicado no Facebook, era possível saber que haveria uma multidão no Luau. Na rede social, mais de 1.400 pessoas confirmaram presença no encontro. A descrição dizia: “Dia 14 de novembro teremos luau para reunir nossos amigos e curti aquela noite na praia. Convoca a galera e já marca essa data”.

O Luau Bateu a Onda é realizado desde 2016 e estava paralisado desde o início deste ano. A última festa aconteceu em fevereiro. O evento da noite de sábado para domingo marcou a 20ª edição e tinha como tema “festa do sinal”. A proposta era que os frequentadores deveriam se vestir de acordo com cores que representam seu status civil. Vermelho, os comprometidos, amarelo, os “enrolados”, e verde, os solteiros.

Veja o vídeo:

Irregularidades

A aglomeração veio em um momento em que a média móvel de novos casos de coronavírus no Rio de Janeiro voltou a crescer, levantando a hipótese de uma segunda onda da doença.

Em entrevista ao Metrópoles, Denise Correa, presidente da Associação viva Selva de Pedra, revelou que a festa assusta os moradores da região. “Vi fotos do evento e ninguém usava máscara. No caos que estamos vivendo, as pessoas agiram como se não tivesse pandemia. É muito complicado”, disse.

0

A moradora informou que, semanas antes, assim que recebeu a divulgação do evento, entrou em contato com a Prefeitura da capital carioca para proibir a festa. “Esses luaus são tradicionais ali no Arpoador. E há duas ou três semanas, quando eu recebi dos moradores a divulgação, eu repassei para as autoridades e recebi a informação de que o evento não tinha alvará. A polícia militar entrou com pedido do embargo do evento, só que esse pedido foi negado pelo juiz”, explicou.

A prefeitura confirmou que o evento não tinha autorização para acontecer. “O luau promovido na madrugada deste domingo (15/11), no Arpoador, não teve autorização da Prefeitura. Os organizadores não seguiram o trâmite necessário para esse tipo evento na cidade, que depende da aprovação de diversos órgãos municipais, solicitada por meio do serviço Carioca Digital”, informou.

A Polícia Militar deslocou equipes do 23ºBPM (Leblon) ao Arpoador, na Zona Sul da cidade do Rio. Foram registradas duas ocorrências na região, uma delas por perturbação, quando uma pessoa não quis esligar ou diminuir o volume de aparelho de som.

Por meio do Facebook, os organizadores do Luau Bateu a Onda limitaram-se a agradecer a presença do público.

“Gostaríamos de agradecer a presença de todos e pedir desculpas se algo não foi do seu agrado. Infelizmente tivemos alguns imprevistos, mas estamos sempre buscando melhorar. Até a próxima”, escreveram na página oficial do Facebook.

Últimas notícias