Agências e lotéricas da Caixa divulgarão o Disque 100 e o Ligue 180

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o acordo tem foco no alto número de pessoas que passam pelas agências

atualizado 08/03/2021 19:46

agência da Caixa economica federalHugo Barreto/Metrópoles

Como medida de enfretamento a violações de direitos humanos, as agências e casas lotéricas da Caixa vão passar a divulgar o Disque 100 e o Ligue 180. A ação é resultado de um acordo de cooperação técnica assinado, nesta segunda-feira (8/3), entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e o banco.

De acordo com a pasta, o acordo tem foco no alto número de pessoas que passam pelas agências e unidades do banco.

“Em razão disso, há potencial de impacto na realização de ações voltadas para direitos humanos e do enfretamento da violência, como por meio de campanhas de conscientização e de divulgação dos direitos dos cidadãos, dentre os quais aqueles que pertencem aos grupos de vulneráveis”, diz o ministério, em nota.

O acordo também destaca que poderão ser evidenciadas, por exemplo, situações de violência patrimonial contra idosos ou mulheres, tráfico de pessoas, violência contra à mulher, idosos, crianças e adolescentes.

“O nosso Ligue 180 é um instrumento poderoso, mas todas as mulheres todas precisam conhecer. A Caixa vai nos ajudar a fazer isso”, disse a ministra Damares Alves. “São 13 mil lotéricas e 4,2 mil agências. É, de muito longe, a maior rede do país”, complementou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Pronto socorro

O Disque 100 é um serviço de disseminação de informações sobre direitos de grupos vulneráveis e de denúncias de violações de direitos humanos.

Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelo serviço, que funciona diariamente, durante 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados.

O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos, pois atende também graves situações de violações.

Já o Ligue 180 tem por objetivo receber denúncias de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e de orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário.

A Central funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados, e pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil e de mais 16 países (Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela).

Denúncia

Vale lembrar que denúncias podem ser feitas no aplicativo para smartphones Direitos Humanos Brasil (DH Brasil), no Telegram (Direitoshumanosbrasilbot) e no WhatsApp (61-99656-5008).

0

 

 

Últimas notícias