Acidente em SP: empresa diz que ônibus estava regular. Artesp nega registro

Agência de Transporte do Estado de São Paulo informou que a Star Turismo "roda ilegalmente" desde 11 de outubro do ano passado

atualizado 26/11/2020 13:35

Grave acidente entre um ônibus e um caminhão provocou 40 mortes e deixou ao menos 12 pessoas gravemente feridas na manhã desta quarta-feira (25), na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, entre Taguaí e Taquarituba, no interior de São Paulo, na região de Avaré.ADEMILSON TICO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Star Viagem e Turismo, empresa responsável pelo ônibus envolvido em um acidente no interior de São Paulo que deixou 41 mortos e feridos graves, emitiu uma nota afirmando que toda a documentação do veículo envolvido na tragédia está em situação legal. Apesar disso, a empresa não possui registro, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

A agência informa que a empresa não possui registro para transporte de passageiros e roda ilegalmente desde 11 de outubro de 2019″, diz nota do órgão.

Segundo a Artesp, a empresa já foi multada várias vezes e era considerada clandestina pelo órgão fiscalizador. Nem no site da Artesp nem no da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) há registros sobre a Star Viagem e Turismo — empresa criada em 2016 e com sede em Taquarituba, segundo dados da Junta Comercial do Estado.

“Em ações fiscalizatórias recentes, em março deste ano, foram registradas algumas infrações à empresa: no dia 3, a Star foi multada por realizar fretamento irregular na Rodovia Raposo Tavares, próximo ao km 296, em Avaré, ao realizar o transporte de 30 estudantes, que saíram da cidade de Fartura com destino a faculdade de Avaré”, relatou a agência.

No mesmo dia, uma nova multa foi aplicada à empresa por transportar, irregularmente, 43 estudantes com a mesma origem e destino, segundo o órgão. “Dois dias depois, a empresa recebeu nova autuação por fretamento irregular na Rodovia Raposo Tavares (SP 270), próximo ao km 372, em Ourinhos, quando tiveram dois veículos autuados e retidos e realizado o transbordo dos 15 passageiros”, diz a nota.

A Artesp ressaltou a importância de os contratantes e passageiros sempre conferirem se as empresas que oferecem o serviço de fretamento estão cadastradas e reguladas, por meio do site da agência.

Na nota, a Star apenas se limitou a dizer sobre a legalidade documental do ônibus, mas não da empresa, afirmando que “toda a documentação relativa ao veículo envolvido no trágico acidente está em conformidade com os órgãos governamentais e em perfeita validade”.

Acidente

O trágico acidente provocou 41 mortes e deixou 10 pessoas gravemente feridas na manhã de quarta-feira (25/11), na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, entre Taguaí e Taquarituba, no interior de São Paulo.

Os veículos bateram no km 172 da rodovia, que precisou ser interditada para atendimento da ocorrência. De acordo com informações das corporações que acompanharam o caso, 37 vítimas morreram no local e quatro faleceram em hospitais da região.

0

Últimas notícias