Ação de estatais é alternativa para preço do combustível, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, aventou a possibilidade de vender ativos para alimentar um fundo de estabilização dos preços

atualizado 04/10/2021 15:45

EDU ANDRADE/Ascom/ME - 25/08/2021

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu que a venda de ações das estatais poderia abastecer o fundo de estabilização dos preços de combustíveis aventado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração ocorreu nesta segunda-feira (4/10), em evento promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O fundo é a estratégia cogitada pelo governo federal para conter a alta no preço da gasolina e do óleo diesel. A ideia foi discutida, na semana passada, entre Bolsonaro e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano.

Durante a abertura da cerimônia no TCU, Guedes disse que, para injetar dinheiro no programa, uma alternativa seria usar “ações da PPSA [Pré-Sal Petróleo S.A.], com ações que o BNDES tenha da Petrobras”.

Na sua live da quinta-feira (30/9), Bolsonaro anunciou que uma proposta estudada consiste em usar os dividendos pagos pela Petrobras ao governo federal.

“Será que esse dinheiro da Petrobras que vem para nós — será, estou perguntando, não estou afirmando — que é lucro bilionário, nós não podemos converter para esse fundo regulador? Toda vez que dá um aumento você não repassar todo o aumento, ou não repassar aumento nenhum. Você faz caixa quando está mais no baixo e, quando sobe, com esse caixa, compensa esse reajuste lá na frente”, ponderou o mandatário da República, na ocasião.

Últimas notícias