*
 

O Distrito Federal registrou nesta terça-feira (29/8) a mais baixa umidade do ano. Às 16h, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) computou 9% na Ponte Alta do Gama. Nas demais estações, o índice também ficou muito baixo — 13%, em média. Com isso, o DF entra em estado de emergência.

Nesta quarta (30), a capital do país completará 100 dias sem uma gota de chuva. Segundo a meteorologista e consultora do Inmet Ingrid Peixoto, não há previsão de precipitações no DF até, pelo menos, 14 de setembro. “Estamos no auge da seca”, alerta.

A situação crítica, de acordo com a especialista, é consequência de um bloqueio atmosférico que inibe a formação de nuvens. Sem previsão de chuva para os próximos dias, os brasilienses enfrentarão baixa umidade e temperatura alta. Nesta terça, os termômetros marcaram máxima de 30,5ºC.

 


A época seca favorece a formação de redemoinhos de poeira. De acordo com meteorologistas, as pessoas devem se manter distantes, pois os chamados pés de vento podem chegar a uma velocidade de 100km/h.

Além disso, os brasilienses devem evitar práticas que favoreçam as queimadas. No ano passado, o Corpo de Bombeiros atendeu a 6.944 ocorrências dessa natureza, mais do que em 2015 (5.168 casos). Até maio deste ano foram 96.

Em meio à seca, os níveis dos reservatórios que abastecem a capital não param de cair. Nesta terça, o do Descoberto registrou 29,66% da capacidade. O de Santa Maria estava em 37,09%, segundo medição feita às 14h30. No dia 22 deste mês, os índices ficaram, respectivamente, em 31,9% e 38,8%.


Fique atento!

Entre 21% e 30% (estado de atenção)

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
  • Umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com água;
  • Consumir água à vontade.

Entre 12% e 20% (estado de alerta)

  • Observar as recomendações do estado de atenção;
  • Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 16h;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Usar soro fisiológico nos olhos e nas narinas.

Abaixo de 12% (estado de emergência)

  • Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;
  • Interromper qualquer atividade ao ar livre entre 10h e 16h, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, etc;
  • Durante as tardes, manter os ambientes internos úmidos, principalmente quartos de criança, hospitais, etc.
 

 

COMENTE

seca
comunicar erro à redação