*
 

Parte dos vigilantes que trabalham na rede pública de saúde do Distrito Federal está parada desde as 7h desta terça-feira (10/1). De acordo com o sindicato da categoria, 2,2 mil trabalhadores das empresas Ipanema e Brasília Segurança que atuam nos hospitais, centros de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) cruzaram os braços por falta de pagamento dos salários, que deveriam ter caído na conta na sexta-feira (6).

Sem vigilantes em seus postos, um homem teve o carro furtado no estacionamento do Hospital Regional do Gama (HRG) nesta quarta. Por volta do meio-dia, Arthur Alan Alves comunicou à Polícia Civil que estacionou o veículo Gol, placa JFE 7994-DF, na área interna da unidade hospitalar e, quando retornou, o automóvel não estava mais no local.

De acordo com Gilmar Rodrigues, diretor do sindicato, os vigilantes só retornarão aos postos de trabalho após os salários serem pagos. Ainda segundo o sindicalista, os únicos hospitais que estão com vigilantes nesta quarta (11) são o de Base, o da Asa Norte (Hran), de Sobradinho e Planaltina.

As empresas alegam para os trabalhadores que os salários não foram pagos devido à falta de repasse dos recursos por parte do GDF. Procurada, a Secretaria de Saúde informa que a dívida do mês de novembro do ano passado com as empresas de vigilância e limpeza deve ser paga nas próximas horas.

No ano passado, a categoria também fez algumas paralisações. Em outubro de 2016, por exemplo, os vigilantes pararam as atividades, o que fez o GDF inclusive encurtar o horário de visitas aos pacientes internados no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF).

 

 

COMENTE

GreveSaúdeDFvigilantes
comunicar erro à redação