*
 

O deputado distrital Cristiano Araújo (PSD) resgatou os R$ 16 mil apreendidos durante a Operação Drácon, em 23 de agosto, embaixo do banco de um Ford Fusion — um dos carros oficiais da Câmara Legislativa — que estava a serviço do parlamentar. Em depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap) no dia da ação, Cristiano afirmou que o “montante havia sido recebido a título de subsídio do presente mês”. Explicou ainda que tem o costume de sacar o salário em função de processos trabalhistas a que responde referentes à empresa da qual já foi sócio, a Vipasa.

Nesta quinta-feira (15/9), ele recebeu os R$ 16 mil de volta. A decisão da Justiça de devolver o dinheiro ocorreu junto com a quebra de sigilo do inquérito da Operação Drácon, que investiga um suposto esquema de cobrança de propina para aprovação de emenda parlamentar na Câmara Legislativa. Os envolvidos, tiveram acesso ao conteúdo dos documentos depois de autorização dada pelo desembargador José Divino, que é o relator do processo que tramita no Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT).

São investigados a presidente afastada da Casa, Celina Leão e Raimundo Ribeiro (ambos do PPS), Julio César (PRB) e Bispo Renato (PR), além de Cristiano Araújo . A operação foi deflagrada depois que áudios gravados pela distrital Liliane Roriz (PTB) foram entregues ao Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) com conversas entre os parlamentares sugerindo a existência de um esquema de pagamento de propina com recursos desviados da saúde.

 

 

COMENTE

MPDFTCristiano AraújoCâmara LegislativaDráconR$ 16 mil
comunicar erro à redação