*
 

Com o Rio Descoberto, principal reservatório que abastece a capital do país, em níveis nunca antes registrados, o Distrito Federal entrou oficialmente em racionamento de água. O abastecimento será suspenso por até 24 horas em regiões previamente avisadas, em esquema de rodízio. A medida foi anunciada nesta quinta-feira (12/1) pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) e começa a partir de segunda-feira (16), por Ceilândia, Recanto das Emas e Riacho Fundo II.

Nesta primeira fase dos cortes, serão atingidos 1,8 milhão de moradores de cidades abastecidas pelo Descoberto, entre elas Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Samambaia, Riacho Fundo, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria, Núcleo Bandeirante, Park Way, Guará e Candangolândia.

As cidades que têm abastecimento hídrico pelo reservatório de Santa Maria terão a pressão da água reduzida. A medida começa em 30 de janeiro. Como o reservatório está em torno de 40% (41,22% na manhã de hoje), ainda não será feito rodízio de fornecimento de água.

Reprodução/Agência Brasília

 

O calendário dos cortes percorre um ciclo de seis dias: um dia com interrupção completa, dois dias de estabilização e três de fornecimento normal. No sétimo dia, o corte volta a ocorrer.

“As medidas adotadas visam dar garantia e segurança hídrica às empresas e moradores do DF. A água é um recurso finito e precisa ser preservado”, justificou o presidente da Caesb, Maurício Luduvice. De acordo com ele, o objetivo é reduzir em mais 10% o consumo.

Pouca chuva
Para reduzir o consumo, a empresa já adotou a cobrança de tarifa extra e diminuiu a pressão da rede em diversas regiões do DF. O brasiliense deixou de consumir 9,2% de água. Mas as medidas não foram suficientes, já que São Pedro não colaborou.

De acordo com a companhia, a demora na adoção do racionamento se deu porque a suspensão no fornecimento de água exige uma grande mudança no sistema, envolve custos e remanejamento de pessoal.

A ideia inicial da Caesb era esperar até o fim do mês para anunciar o racionamento. A expectativa era que as chuvas se intensificassem. Porém, a queda acentuada no volume dos reservatórios fez a empresa mudar de estratégia.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nos dez primeiros dias de janeiro choveu apenas 19,9 milímetros. No ano passado, no mesmo período, a quantidade foi de 64,4 milímetros, quando o índice previsto para o mês é de 200mm.

O instituto atribui a situação ao fenômeno El Niño, responsável pelo aquecimento das águas do Oceano Pacífico, que provocou bloqueio atmosférico e influenciou no regime de chuva do Brasil desde 2014. “A formação de nuvens foi inibida, a temperatura, elevada e a umidade do ar sofreu baixa”, explica a meteorologista Ingrid Monteiro Peixoto.

De acordo com o Inemt, o Centro-Oeste está agora sob a influência do fenômeno La Niña, de menor intensidade, que esfria as águas do Pacífico Equatorial e traz um panorama favorável no que diz respeito às chuvas. “Até 19 de janeiro, esperamos um acumulado de 100 a 125 milímetros, o que não vai contribuir de imediato, mas pode aliviar a crise dos reservatórios”, explica.

Confira o cronograma dos cortes:

Primeiro ciclo do rodízio no fornecimento de água
16 de janeiro (segunda-feira)
Interrupção: Ceilândia Oeste, Recanto das Emas e Riacho Fundo II

17 de janeiro (terça-feira)
Interrupção: Vicente Pires, Colônia Agrícola Samambaia, Vila São José, Jóquei, Santa Maria, DVO, Sítio do Gama, Polo JK e Residencial Santa Maria
Religação e estabilização: Ceilândia Oeste, Recanto das Emas e Riacho Fundo II

18 de janeiro (quarta-feira)
Interrupção: Gama
Religação e estabilização: Vicente Pires, Colônia Agrícola Samambaia, Vila São José, Jóquei, Santa Maria, DVO, Sítio do Gama, Polo JK, Residencial Santa Maria, Ceilândia Oeste, Recanto das Emas e Riacho Fundo II

19 de janeiro (quinta-feira)
Interrupção: Águas Claras (zona baixa), Park Way, Núcleo Bandeirante, C.A. IAPI, Candangolândia, Setor de Postos e Motéis e Metropolitana, Vila Cauhy, Vargem Bonita, Ceilândia Leste e Samambaia
Religação e estabilização: Gama, Vicente Pires, Colônia Agrícola Samambaia, Vila São José, Jóquei, Santa Maria, DVO, Sítio do Gama, Polo JK e Residencial Santa Maria

20 de janeiro (sexta-feira)
Interrupção: Guará I e II, Polo de Modas, CABS, Lúcio Costa, SQB, CAAC, Taguatinga Sul, Arniqueiras, Areal e Riacho Fundo I
Religação e estabilização: Águas Claras (zona baixa), Park Way, Núcleo Bandeirante, C.A. IAPI, Candangolândia, Setor de Postos e Motéis e Metropolitana, Vila Cauhy, Vargem Bonita, Ceilândia Leste, Samambaia e Gama

21 de janeiro (sábado)
Interrupção: Águas Claras (zona alta), Concessionárias e Taguatinga Norte
Religação e estabilização: Guará I e II, Polo de Modas, CABS, Lúcio Costa, SQB, CAAC, Taguatinga Sul, Arniqueiras, Areal, Riacho Fundo I, Águas Claras (zona baixa), Park Way, Núcleo Bandeirante, C.A. IAPI, Candangolândia, Setor de Postos e Motéis e Metropolitana, Vila Cauhy, Vargem Bonita, Ceilândia Leste e Samambaia

22 de janeiro (domingo)
Interrupção: Ceilândia Oeste, Recanto das Emas e Riacho Fundo II
Religação e estabilização: Águas Claras (zona alta), Concessionárias, Taguatinga Norte, Guará I e II, Polo de Modas, CABS, Lúcio Costa, SQB, CAAC, Taguatinga Sul, Arniqueiras, Areal e Riacho Fundo I

 

 

COMENTE

crise hídricaRacionamento de água
comunicar erro à redação