*
 

Enquanto eram feitas homenagens no estádio da Chapecoense e no estádio do Atlético Nacional, em Medellín, a Aeronáutica Civil colombiana confirmou que a aeronave não tinha combustível. A afirmação é do secretário de Segurança Aérea do país, coronel Fredy Bonilla, feita em uma coletiva de imprensa transmitida pelo Twitter do órgão.

Segundo Bonilla, antes do acidente com a aeronave que matou 71 pessoas, um outro avião pediu para pousar em Rionegro porque também estava com falta de combustível. Isso aconteceu às 21h52. Logo depois, o voo da Chapecoense faz o mesmo aviso à torre de comando e pede prioridade para pousar.

Como não há tempo suficiente, o avião acaba caindo. Segundo Bonilla, o avião bateu em baixa velocidade contra a montanha, o que fez com que houvesse sobreviventes. Primeiro, a aeronave se chocou contra o solo e perdeu a cauda. Em seguida, as asas e a cabine colidiram com uma montanha.

A linha de investigação da Aeronáutica colombiana é de que a pane seca tenha feito os sistemas elétricos pararem. As caixas-pretas do avião deve ser enviada em breve às autoridades da Inglaterra, onde foi fabricado o avião.

 


 

COMENTE

Chapecoense
comunicar erro à redação