*
 

O presidente da República, Michel Temer, oferece na noite deste domingo (9/10), no Palácio da Alvorada, um jantar a deputados da base aliada. A ideia é convencer os parlamentares a aprovarem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos.

A votação da PEC está marcada para uma sessão nesta segunda-feira (10). De acordo com o projeto, as despesas da União só poderão aumentar, pelos próximos 20 anos, conforme a inflação do ano anterior. A medida é a resposta do governo para a crise econômica e fiscal que o país atravessa.

Para que a medida seja aprovada, são necessários 308 votos. Os governistas alegam que já possuem esse número. De acordo com a assessoria do presidente, Temer usa o jantar para reforçar com a base aliada a importância da aprovação da PEC para o equilíbrio das contas públicas.

No jantar, estiveram, segundo informações do G1, cerca de 215 deputados, além do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL). Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Dyogo Oliveira (Planejamento), Mendonça Filho (Educação) e Ronaldo Nogueira (Trabalho) também foram ao encontro.

Dia de encontros
Mais cedo, neste domingo, o presidente Michel Temer reuniu líderes partidários e aliados para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que fixa um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos.

O encontro ocorreu na casa do líder do PSD, deputado Rogério Rosso (DF), no Lago Sul. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também participou do evento.

O encontro entre os aliados de Temer começou por volta das 12h30. Segundo Rogério Rosso, eles trataram apenas da PEC. “É uma avaliação de como está o ambiente para a votação da proposta nesta segunda (10). O presidente Temer está acompanhando isso de perto e está otimista. Existe uma consciência coletiva dos deputados da base sobre a importância da proposta para o país”, explicou Rosso.

 

 

COMENTE

Michel TemerPEC dos gastos
comunicar erro à redação