*
 

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero prestou depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (24/11) e disse que o presidente Michel Temer (PMDB) o “enquadrou” para dar uma solução para a obra do prédio do ministro Geddel Vieira.

De acordo com Calero, Temer encarava com naturalidade a pressão exercida por Geddel para o andamento da construção. “Na quinta, 17, o depoente foi convocado pelo presidente Michel Temer a comparecer no Palácio do Planalto; que nesta reunião o presidente disse ao depoente que a decisão do Iphan havia criado ‘dificuldades operacionais’ em seu gabinete, posto que o ministro Geddel encontrava-se bastante irritado; que então o presidente disse ao depoente para que construísse uma saída para que o processo fosse encaminhado à AGU [Advocacia-Geral da União], porque a ministra Grace Mendonça teria uma solução”, disse Calero, segundo a transcrição do depoimento enviado ao Supremo Tribunal Federal e à Procuradoria-Geral da República. As informações são da Folha de São Paulo. 

Calero completa “Que, no final da conversa, o presidente disse ao depoente ‘que a política tinha dessas coisas, esse tipo de pressão'”, prossegue Calero. Na sequência, o ex-ministro afirma que se sentiu “decepcionado” pelo fato de o próprio presidente da República tê-lo “enquadrado”. O ministro Geddel Vieira é amigo pessoal de Michel Temer há mais de 20 anos. Calero apresentou sua demissão. Ele finaliza dizendo que a sua única saída foi “apresentar seu pedido de demissão”.

 

 

 

COMENTE

TemerGeddel
comunicar erro à redação