*
 

Um laudo produzido pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato, mostrou que o escritório do advogado Marcos Meira, filho do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) José de Castro Meira, recebeu ao menos R$ 11,2 milhões da Odebrecht entre 2008 e 2014. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Em 2010, o então ministro foi relator de processo que considerou prescrita dívida de R$ 500 milhões cobrada pela Procuradoria Geral da Fazenda da Braskem, braço petroquímico da Odebrecht.

O laudo da PF mostra que, nessa época, a empreiteira baiana mantinha relações financeiras com o filho do magistrado.

Marcos Meira informou ao jornal que “presta serviços” à Odebrecht há 15 anos, porém não poderia revelar o tipo de trabalho prestado, pois o contrato firmado prevê uma cláusula de confidencialidade, o que o obriga a ficar em sigilo.

 

 

COMENTE

Lava JatoOdebrechtpropinaSTJ
comunicar erro à redação