metropoles.com

Jovem de 20 anos morre 2 dias após acordar com dor nas pernas. Entenda

O jovem escocês Mackenzie Lowe faleceu em janeiro deste ano após sofrer meningite causada por bactéria que evoluiu para sepse

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/ Redes sociais
Homem sentado de perfil com casaco branco - Metrópoles
1 de 1 Homem sentado de perfil com casaco branco - Metrópoles - Foto: Reprodução/ Redes sociais

Um escocês de 20 anos morreu apenas dois dias depois de acordar com mal-estar e dores nas pernas. O jovem Mackenzie Allan Scott Lowe faleceu em janeiro, de meningite e infecção generalizada (sepse).

Em entrevista ao jornal The Sun, a família de Mackenzie conta que o rapaz saiu com amigos em uma sexta-feira para tomar drinks e acordou no dia seguinte dizendo estar “se sentindo um lixo”.

A mãe do escocês, Lisa Elmes, afirma se arrepender de não ter levado o filho ao hospital antes por não saber que os sintomas representavam algo tão grave.

“Ele disse: ‘Não estou me sentindo bem, mãe. Minhas pernas estão muito doloridas’. Mackenzie disse que provavelmente era porque tinha ido à academia e ficava o dia todo trabalhando. Sugeri que ele tomasse alguns analgésicos”, conta Lisa.

O rapaz ligou do trabalho para avisar que não se sentia bem e voltou para casa, onde Lisa constatou que ele estava com febre. No mesmo dia, ele foi levado ao hospital. Quando os paramédicos perguntaram a data de aniversário dele, o jovem não soube informar o ano em que nasceu. “A partir daí, foi piorando”, lamenta Lisa.

No hospital, Mackenzie foi levado diretamente para a unidade de terapia intensiva (UTI), onde precisou ser sedado. O diagnóstico de meningite bacteriana foi dado no dia seguinte, e os médicos informaram à família que havia líquido ou sangue no cérebro do paciente.

Meningite

A meningite é uma inflamação das meninges, as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ser desencadeada por vírus e bactérias.

É uma condição grave, que afeta o sistema nervoso central e pode levar à morte. Embora crianças menores de 5 anos, adolescentes e idosos sejam normalmente os mais afetados, a meningite pode acontecer com pessoas de todas as idades.

Os sinais e sintomas semelhantes aos de uma gripe muito forte ou dengue podem confundir os pacientes, fazendo com que eles só sejam diagnosticados quando o quadro já está avançado. Em quadros graves, ela pode levar à morte em menos de 24 horas.

Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, mal-estar, náusea e vômito, rigidez na nuca, confusão mental, sensibilidade à luz, dores nos músculos, articulações, peito ou barriga, manchas vermelhas na pele parecidas com picadas, respiração rápida e calafrios.

“É algo que você vê na televisão ou ouve falar que acontece com outras pessoas. Você não espera que aconteça com alguém que conhece e nessa idade. Sempre associei a meningite a bebês”, conta o padrasto de Mackenzie, Paul. “Não havia sinais, não havia nada, a não ser que ele se sentia um pouco mal. Nós simplesmente presumimos que ele tinha um vírus leve”, lembra.

A septicemia acontece quando a bactéria entra na corrente sanguínea e se espalha pelo corpo. Ela se manifesta com sintomas que incluem dores nos membros ou músculos, mãos e pés frios ou tremores e confusão mental.

Os órgãos de Mackenzie começaram a falhar na manhã de domingo, quando foi identificado um sangramento interno e a pressão arterial do rapaz já estava muito baixa.

“Descobriram que ele tinha uma hemorragia cerebral catastrófica. Ele teve morte cerebral na manhã de segunda-feira”, desabafa Lisa.

Todos os familiares que tiveram contato com Mackenzie nos dias anteriores à morte precisaram tomar antibióticos contra a meningite como precaução.

Siga a editoria de Saúde no Instagram e fique por dentro de tudo sobre o assunto!

Compartilhar notícia