Confira 4 erros na alimentação que podem atrapalhar a perda de peso

A dieta está totalmente ligada ao processo de emagrecimento, e perder peso depende de fazer escolhas certas na alimentação

atualizado 02/11/2022 22:04

Foto colorida de pessoa com hambúrguer Unsplash/Reprodução

Perder peso de maneira saudável e duradoura faz parte de um processo longo e que muitas vezes é frustrante. Apesar da persistência diária, é complicado fugir da vontade de comer alimentos pouco nutritivos e gordurosos, por exemplo. Mas conhecer a si próprio e fazer pequenas mudanças na alimentação é essencial para uma dieta mais eficiente e um caminho menos sofrido rumo ao emagrecimento.

No entanto, mesmo quando o indivíduo faz mudanças na rotina, ele ainda pode encontrar alguns obstáculos. Existem muitas razões para o problema, mas adotar hábitos alimentares ruins costuma atrapalhar ainda mais a pessoa que está no processo de atingir o peso ideal.

A nutricionista funcional Bruna Parente alerta para o consumo excessivo de alimentos pobres em nutrientes. De acordo com ela, esse tipo de dieta não só atrapalha o processo de emagrecimento, como também causa diversos problemas de saúde, como hipertensão e obesidade.

“Os alimentos pobres em nutrientes são ricos em calorias vazias, por isso geram um aumento de peso. Além disso, eles elevam os níveis de açúcar e gordura no sangue. Uma dieta pouco saudável também gera menos saciedade, levando o indivíduo a comer cada vez mais”, explica a especialista.

A nutricionista separou alguns erros na alimentação que atrapalham o processo de perda de peso. Confira:

Erros alimentares que atrapalham o emagrecimento

1. Beliscar toda hora

Quando o indivíduo não tem uma dieta equilibrada e balanceada, a tendência é que ele precise beliscar ao longo do dia. O hábito não é recomendado, já que normalmente envolve alimentos gordurosos e com poucos nutrientes que são fáceis e práticos.

Para evitar o problema, Bruna explica que é importante apostar em um cardápio inteligente para as principais refeições do dia — café da manhã, almoço e jantar. “Quando montamos um prato com boas proteínas, gorduras e fibras, isso gera uma saciedade prolongada, e a pessoa vai demorar mais a ter fome, evitando os lanchinhos”, diz a nutricionista.

Bons exemplos de proteínas são ovos, carnes, peixes, frango e queijo. Já entre as gorduras recomendadas estão açaí, azeite, abacate, óleo de coco e oleaginosas. No grupo das fibras entram cascas de fruta, verduras, folhagens, chia, aveia, linhaça e grãos.

2. Esperar a fome chegar para decidir o que comer

O mais indicado pelos nutricionistas é se alimentar quando houver fome fisiológica — diferente da emocional, quando estamos tristes, ou a social, aquela que aparece ao nos encontrarmos com os amigos, por exemplo. Para evitar exageros, a principal dica é apostar no planejamento, decidindo e preparando com antecedência (no começo do dia, ou no final de semana anterior) o que será consumido em cada hora do dia.

“Se deu meio dia e você ainda não estiver com fome e puder se alimentar mais tarde, é melhor esperar. Eventualmente, o organismo vai passar a dar o sinal de fome nos mesmos horários”, explica Bruna.

Decidir o que comer só quando a fome chega facilita as escolhas rápidas para aplacar o problema, que costumam ser muito calóricas e pobres em nutrientes.

Melhores dietas para comer saudável

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

3. Não beber água suficiente

Segundo a nutricionista, a ingestão hídrica varia de dois a três litros de água por dia por pessoa, e ficar com muita sede pode induzir o corpo a comer de forma excessiva. Beber bastante água promove uma boa hidratação ao corpo e ajuda na circulação sanguínea e no funcionamento intestinal.

Bruna explica que é no intestino que os nutrientes são absorvidos, e quando se bebe pouca água e se dá preferência a alimentos ricos em gordura e açúcar, além de carboidratos refinados, refrigerantes e bebidas alcoólicas, o órgão incha e não consegue cumprir seu papel. O intestino também produz o hormônio da saciedade — se não está funcionando corretamente, não consegue fabricar a substância da maneira correta.

4. Pensar apenas em calorias

O ideal é ingerir alimentos que irão nutrir e desinflamar organismo, além de auxiliar na prevenção de doenças. Alimentar-se com comidas ricas em nutrientes para promover uma boa qualidade de vida e bem-estar deve ser foco da dieta — o emagrecimento vem como consequência.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente

Mais lidas
Últimas notícias