metropoles.com

Preso por assaltar pais de Biancardi já foi condenado por vender crack

O mecânico Eduardo Seganfredo Vasconcelos, 19 anos, tem condenação por tráfico de drogas e está preso por roubar pais de Bruna Biancardi

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
Imagem colorida de Eduardo Seganfredo Vasconcelos dentro de carro olhando para câmera de segurança em entrada de condomíno em Cotia, na Grande São Paulo - Metrópoles
1 de 1 Imagem colorida de Eduardo Seganfredo Vasconcelos dentro de carro olhando para câmera de segurança em entrada de condomíno em Cotia, na Grande São Paulo - Metrópoles - Foto: Reprodução

São Paulo — Preso por assaltar a casa dos pais da influencer Bruna Biancardi, que tem uma filha com o jogador Neymar, o mecânico Eduardo Seganfredo Vasconcelos, de 19 anos, tem passagens por tráfico de drogas, já foi condenado por vender crack e havia deixado a cadeia há pouco menos de um ano.

O Metrópoles apurou que Eduardo foi detido pela primeira vez no dia 17 de dezembro de 2021, a apenas 13 dias de completar 18 anos. Na ocasião, ele foi acusado de ato infracional análogo ao tráfico de drogas.

Seis meses depois, já maior de idade, ele foi preso em Avaré, no interior paulista, onde foi flagrado vendendo cocaína e crack na tarde de 23 de junho de 2022. A cidade fica a mais de 240 quilômetros de Cotia, na Grande São Paulo, cidade em que o suspeito morava com a mãe e o padrasto a 300 metros da casa dos pais de Bruna Biancardi, em condomínio de luxo.

Segundo o boletim de ocorrência, policiais militares decidiram abordá-lo na Rua Manduri, localizada no Parque Industrial Jurumirim, em Avaré, ao notar que o jovem tentou esconder uma pochete que estava na sua mão. Eram 16h10.

Na pochete, os PMs encontraram 23 porções de cocaína, embaladas em sacos plásticos, e 128 de crack – estas, vendidas a R$ 10 cada –, além de R$ 92 em cédulas. Eduardo não manifestou resistência aos policiais, confessou que havia viajado para traficar drogas e foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César.

0

Condenação

No processo, a defesa de Eduardo tentou impetrar um habeas corpus alegando que ele seria réu primário, tinha emprego lícito e morava com a família. O pedido, no entanto, foi recusado pela Justiça paulista, que manteve sua prisão preventiva durante todo o processo.

Nas alegações finais, o advogado Marcos Antonio Antunes Barbosa afirmou que o jovem tinha “sérios problemas com uso de drogas”, motivo pelo qual contraiu uma dívida de R$ 26 mil. “Ele mentia para os traficantes que iria revender as drogas, quando na verdade usava todas elas e ficava devendo”, afirmou.

O juiz Leonardo Labriola Ferreira Menino, da 1ª Vara Criminal de Avaré, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), decidiu condenar Eduardo a 1 ano e 8 meses de prisão, em regime aberto, além de multa.

A sentença foi proferida no dia 18 de novembro de 2022. “A alegação do réu de que é usuário de drogas, por si só, não retira a convicção de que também traficaria”, escreveu o juiz.

Como a pena era baixa, o magistrado decidiu, na mesma sentença, substituir a prisão pela prestação de serviço para a comunidade e pelo pagamento de um terço do salário mínimo para uma entidade beneficente. O alvará de soltura foi expedido em seguida. O Ministério Público de São Paulo (MPSP) recorreu.

Assalto

Agora, Eduardo é acusado de participar do assalto à casa dos pais da influencer Bruna Biancardi, que tem uma filha (Mavie) com Neymar. O crime ocorreu na madrugada desta terça-feira (7/11).

Segundo a Polícia Civil, o casal Telma e Edson Ribeiro foi amarrado e amordaçado, enquanto os criminosos perguntavam por dinheiro no cofre e recolhiam joias e bolsas de marcas de luxo, avaliadas entre R$ 500 mil e R$ 600 mil. Após a fuga dos bandidos, o casal conseguiu chamar a segurança do condomínio.

Eduardo foi preso por participar do crime. Uma câmera mostra ele dirigindo o carro usado no assalto, na portaria do condomínio (foto em destaque). Ele confessou a participação no roubo. Os outros dois criminosos fugiram e já foram identificados pela polícia.

A delegada Mônica Gamboa, titular do 2º DP de Cotia, não descarta que a intenção do trio tenha sido sequestrar Bruna Biancardi e a filha dela com Neymar, que não estavam em casa, porque os bandidos perguntaram pelas duas quando invadiram a residência. Mas, por ora, a Polícia Civil trabalha o caso como crime patrimonial.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSão Paulo

Você quer ficar por dentro das notícias de São Paulo e receber notificações em tempo real?

Notificações