Papa pede desculpas por tapas na mão de mulher: “Mau exemplo”

No Angelus, o pontífice falou que as pessoas perdem a paciência, inclusive ele, mas pediu desculpas pelo gesto

Reprodução/InstagramReprodução/Instagram

atualizado 01/01/2020 15:49

O papa Francisco pediu desculpas, nesta quarta-feira (1º/01/2020), por ter dado tapas na mão de uma mulher que o puxou bruscamente durante uma caminhada pela Praça São Pedro, no Vaticano.

Na mensagem do primeiro Angelus de 2020, o pontífice falou que, com o gesto intempestivo, deu um “mau exemplo”. “Muitas vezes perdemos a paciência, inclusive eu, e peço desculpas pelo mau exemplo de ontem”, lamentou.

O pedido de desculpas ocorreu logo após a primeira missa do ano na Basília de São Pedro. O sermão tradicional foi dedicado à reconciliação e à paz. Na fala, o bispo de Roma pediu para os fiéis “descerem do pedestal do orgulho”.

“Deixemo-nos abençoar, abramos o coração à sua bondade. Assim, o ano que começa será um caminho de esperança e paz, não com palavras, mas através de gestos diários de diálogo, de reconciliação e cuidado para com a criação”, afirmou.

Após rezar o Angelus, o Papa Francisco saudou os presentes na Praça São Pedro e aqueles que acompanhavam pelos meios de comunicação, fazendo votos de paz e de bem no novo ano.

Puxão e tapas

O Santo Padre passava pela praça e cumprimentava fiéis, na noite da última terça (31/12/2019), quando uma peregrina agarrou a mão direita dele e o puxou para perto da grade que o separava do público.

O pontífice reclamou da abordagem e chegou a dar tapas na mão da mulher para que ela o soltasse. Em imagens, divulgadas nas redes sociais, o papa saiu visivelmente irritado, sendo auxiliado pela equipe de segurança.

 

Ver essa foto no Instagram

 

PT: No primeiro dia do ano, a Liturgia celebra a Santa Mãe de Deus, Maria, a Virgem de Nazaré, que deu à luz Jesus, o Salvador. A sua salvação não é mágica, mas uma salvação “paciente”, isto é, comporta a paciência do amor, que assume a iniquidade e lhe tira o poder. A paciência do amor: o amor nos torna pacientes. Tantas vezes perdemos a paciência; também eu, e peço desculpas pelo mal exemplo de ontem….. ES: En el primer día del año la Liturgia celebra a la Santa Madre de Dios, María, la Virgen de Nazaret que dio a luz a Jesús, el Salvador. Su salvación no es mágica, sino que es una salvación “paciente”, es decir, comporta la paciencia del amor, que se hace cargo de la iniquidad y le quita el poder. La paciencia del amor: el amor nos hace pacientes. Muchas veces perdemos la paciencia; también yo, y pido disculpas por el mal ejemplo de ayer… FR: En ce premier jour de l’année, la Liturgie célèbre la Sainte Mère de Dieu, Marie, la Vierge de Nazareth qui a accouché de Jésus, le Sauveur. Son salut n’est pas magique, mais il est un salut “patient”, c’est-à-dire qu’il comporte la patience de l’amour, qui se charge de l’iniquité et lui retire le pouvoir. La patience de l’amour: l’amour nous rend patients. Tant de fois nous perdons la patience: moi aussi, et je présente mes excuses pour le mauvais exemple d’hier… DE: Im ersten Tag des Jahres feiert die Liturgie die Heilige Gottesmutter Maria, die Jungfrau aus Nazareth, die Jesus, den Retter, geboren hat. Ihr Heil ist kein Zauber, es ist ein „geduldiges“ Heil, d.h. es beinhaltet die Geduld der Liebe, die die Schuld auf sich nimmt und ihr die Macht nimmt. Die Geduld der Liebe: Die Liebe macht uns geduldig. Manchmal verlieren wir die Geduld; auch ich, und ich entschuldige mich für das schlechte Beispiel von gestern …

Uma publicação compartilhada por Pope Francis (@franciscus) em

Últimas notícias