Papa Francisco não deixou fiéis beijarem sua mão por “higiene”

Na última segunda-feira (25), o pontífice retirou as mãos para que os crentes não beijassem seu anel, o que é considerado uma tradição

Agência Força Aérea/Ten. EniltonAgência Força Aérea/Ten. Enilton

atualizado 28/03/2019 17:44

O papa Francisco retirou as mãos para que os fiéis não tentassem beijar seu anel. Nesta quinta-feira (28/3) o Vaticano afirmou que o motivo seria uma questão de higiene e para evitar a disseminação de germes entre os fiéis. As informações são da Folha de S. Paulo.

O vídeo foi gravado na última segunda-feira (25) em uma celebração em Loreto, cidade a 280 km de Roma. O pontífice repete o gesto diversas vezes, ficando aparentemente confortável quando dois jovens não fazem a reverência. Confira:

“O papa me disse que a razão pela qual ele não permitiu que beijassem o anel em Loreto era a higiene, para evitar a disseminação de germes entre as pessoas que faziam fila”, afirmou Alessandro Gisotti, diretor do gabinete de imprensa do Vaticano.

Gisotti ainda disse que Francisco gosta de ser abraçado, de abraçar e de estar perto das pessoas, mas que tinha medo de que a atitude fizesse com que todos os fiéis ficassem doentes. O diretor de imprensa contou que, apesar do papa gostar de contato, aquele dia havia muita gente na fila.

O vídeo gerou várias interpretações entre os católicos. O papa foi acusado de desvirtuar dos dogmas da igreja.

O anel
Como os outros papas anteriores, Francisco ganhou o “anel do pescador” – referência a São Pedro –para usar na mão direita. O objeto é um dos símbolos do poder papal.

Porém, o jornal La Croix afirmou que o anel usado pelo papa no dia do vídeo não era o “do pescador”, mas outro que ele recebeu durante a ordenação episcopal em 1992.

Últimas notícias