metropoles.com

Sergio Massa após votar: “Hoje é uma nova etapa na Argentina”

Peronista votou na cidade de Tigre, da qual foi prefeito entre 2009 e 2013. Ele disputa o segundo turno contra o ultraliberal Javier Milei

atualizado

Compartilhar notícia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
ministro da Economia da Argentina, Sérgio Massa - Metrópoles
1 de 1 ministro da Economia da Argentina, Sérgio Massa - Metrópoles - Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

O atual ministro da Economia da Argentina, Sergio Massa, votou, no início da tarde deste domingo (19/11), na cidade de Tigre, no segundo turno da eleição presidencial que disputa. O peronista chegou pouco depois do meio-dia no local de votação (a Argentina tem o mesmo fuso horário de Brasília).

“Hoje é uma nova etapa na Argentina. Essa etapa requer, além de boa vontade, inteligência e capacidade, o diálogo e o consenso necessários para que nosso país percorra um caminho muito mais virtuoso”, diz Massa, ao votar cercado de apoiadores e em seu reduto eleitoral.

E prosseguiu: “É uma eleição que define o país que teremos nos próximos quatro anos”, acrescentou.

O atual ministro da Economia foi eleito prefeito de Tigre duas vezes — entre 2009 e 2013. Primeiro ocupou o posto de 2007 a 2008. Após dois anos consolidando o poder em seu reduto, Tigre, ele conseguiu uma contundente reeleição como prefeito, com mais de 70% dos votos, para ficar no posto de 2009 a 2013.

O candidato governista teve um desempenho melhor do que o esperado no primeiro turno das eleições presidenciais, em 23 de outubro. As pesquisas apontavam que ele e o ultraliberal Javier Milei empatariam em cerca de 30%. Enquanto Milei se manteve na média esperada, Massa superou.

Essa é a disputa mais polarizada da Argentina nos últimos anos.

0

Perfil

Nascido em San Martín e de origem italiana, o advogado é membro da Unión por la Patria, coalizão política peronista e progressista que governa na Argentina desde 2019, com Fernández.

Na adolescência, começou a militar no partido liberal de centro-direita Unión del Centro Democrático e, em 2008, integrou o governo de Kirchner como chefe dos ministros.

No entanto, Massa deixou a gestão Kirchner brigado com o então presidente, de quem se tornou crítico, até a retomada da relação nos últimos anos. Antes de atuar no Executivo, ele foi prefeito de Tigre, deputado por Buenos Aires e presidente da Câmara dos Deputados da Argentina entre 2019 e 2022, quando passou a colaborar diretamente com o atual governo na condição de ministro da Economia.

Em 2015, disputou as eleições presidenciais pela coligação Unidos por uma Nova Alternativa e recebeu 21% dos votos, ficando na terceira colocação, atrás de Daniel Scioli e do candidato eleito, o direitista Mauricio Macri.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações