Festival de Brasília: longa mineiro Temporada traz história feminina

Novo trabalho de André Novais Oliveira chega à mostra competitiva com o curta carioca Eu, Minha Mãe e Wallace

Thiago Macêdo Correia/DivulgaçãoThiago Macêdo Correia/Divulgação

atualizado 20/09/2018 12:13

Sensação do Festival de Brasília de cinco anos para cá, o diretor mineiro André Novais Oliveira retorna ao evento para exibir seu segundo longa, Temporada (MG), na mostra competitiva da 51ª edição. As atividades da noite desta sexta (21/9) também envolvem o curta Eu, Minha Mãe e Wallace (RJ), dos irmãos Carvalho, premiados na edição passada do evento.

Quando esteve no festival, Oliveira sempre saiu da capital federal com seus filmes premiados: Ela Volta na Quinta (2013), longa em que ele e sua família vivem situações ficcionais, venceu Candango de melhor ator e atriz coadjuvantes, e o curta Quintal (2015), também filmado com seus pais, abocanhou prêmios de melhor filme, roteiro e atriz.

Desta vez, o realizador deixa de lado as histórias particulares. “Temporada pouco tem a ver com experiências pessoais e é mais uma ficção que usa de elementos da naturalidade para também abstrair da realidade dos personagens”, diz ele em entrevista ao Metrópoles. Na trama, Juliana (Grace Passô) se muda do interior para Belo Horizonte, faz novas amizades e passa a enfrentar dificuldades no relacionamento com seu marido.

Contagem surge como uma cidade nova para a personagem principal e nisso acaba a cidade sendo também uma personagem que é observada por ela, de vários ângulos e formas. Em comparação aos outros filmes, temos visões e perspectivas diferentes do espaço e das pessoas que nele vivem, através de um olhar estrangeiro que vai se integrando àquele lugar

André Novais Oliveira, diretor

O cineasta adianta que, bem como Ela Volta e Quintal, o público pode esperar momentos engraçados durante o novo filme, já exibido no prestigiado Festival de Locarno (Suíça). “Tenta momentos de humor inseridos no dia a dia dos personagens e também articula de formas pontuais momentos oníricos que estão ligados à nova realidade da personagem principal”, explica.

Curta da noite
Um ano após vencerem o Candango de melhor direção no festival, os irmãos gêmeos Marcos e Eduardo Carvalho mostram ao público o filme Eu, Minha Mãe e Wallace, estrelado por Fabrício Boliveira.

Na trama, uma mãe solteira, um pai ausente de casa e uma criança se conectam por meio de uma fotografia. Os diretores são conhecidos por trabalhos que retratam a vida na periferia do Rio de Janeiro.

51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Nesta sexta (21/9), no Cine Brasília (106/107 Sul). Mostra Competitiva: às 21h, Eu, Minha Mãe e Wallace (RJ, 23min, livre) e Temporada (MG, 113min, 12 anos). Preço: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Valores sujeitos a alterações sem aviso prévio. Informações: (61) 3244-1660 ou festivaldebrasilia.com.br