Com gol de Matheus Cunha, Brasil derrota Egito e vai às semis

Brasil sofreu em alguns momentos, abusou de perder gols, mas, mesmo assim, consegui vencer o Egito

atualizado 31/07/2021 14:46

Buda Mendes/Getty Images

O sonho do bicampeonato olímpico segue vivo. Na manhã deste sábado, 31/7, o Brasil abusou de perder chances, mas contou com Matheus Cunha para vencer o Egito por 1×0.

Mesmo com um jogo bem controlado, a seleção brasileira sofreu alguns ataques e preocupou em alguns momentos de desatenção que podem virar dor de cabeça para a sequência do torneio.

Nas semis, o Brasil vai viver um flashback contra o México. Nas Olimpíadas de Londres, 2012, os mexicanos foram campeões e deixaram os brasileiros com a prata.

O próximo capítulo dessa rivalidade será escrito na próxima terça-feira, às 05h, em Kashima.

Como era o esperado, o Brasil tentou propor o jogo desde o início. Foi a equipe que manteve mais a bola nos primeiros dez minutos, assutadoramente, em 85% do tempo. Apesar disso, a Seleção não chutava para o gol.

Quem teve a primeira tentativa de marcar foi o Egito, com Tawfik, em chute que passou perto, mas saiu em tiro de meta.

Com um time muito rápido, o Brasil tinha o domínio do jogo, mas não conseguia fazer o gol. Antony tentou e chutou por cima. Richarlison finalizou após grande jogada, mas a bola ficou no peito de El Shenawy.

Mesmo com uma postura defensiva, o Egito avançou em busca do gol aos 37 minutos, mas foi punido no contra-ataque. Após rápida jogada, Claudinho acionou Richarlison, que viu Matheus Cunha, livre, dentro da área. O camisa nove dominou e tocou no canto do goleiro egípcio, que nada pode fazer, 1×0 para o Brasil.

Segundo tempo para confirmar classificação

Vencendo o jogo, o Brasil começou o segundo tempo a todo vapor. Tanto que, com um minuto de jogo, os brasileiros criaram duas boas chances de marcar. Primeiro, com Claudinho, mas o chute saiu torto. Logo depois, Matheus Cunha recebeu em profundidade, acelerou, mas El Shenawy saiu firme e abafou o chute do atacante.

A etapa derradeira começou a tomar contornos de emoção. Não pelo fato do Egito ir para cima em busca o gol, mas, sim, porque o Brasil empilhava chances perdidas.

Douglas Luiz quase balançou as redes em chute forte de fora da área. Paulinho, que entrara no lugar de Matheus Cunha, chutou em cima do arqueiro adversário em duas oportunidades e Richarlison não conseguiu finalizar boa jogada de Antony e Claudinho pela esquerda.

O Egito conseguiu incomodar os brasileiros em algumas jogadas interessantes. Na primeira, aos 26 minutos, os africanos tabelaram bonito, mas o chute de Sobhi ficou na marcação. Depois, em alguns cruzamentos. Para a sorte brasileira, as finalizações adversárias não eram bem executadas e Santos ficava com a bola.

No finalzinho, Reinier ainda tentou finalizar uma boa jogada, mas a defesa egípcia estava atenta ao jogo e travou o chute do brasiliense.

Com uma pitada de sofrimento e preocupação, o Brasil confirmou a classificação para às semis do futebol masculino com o gol de Matheus Cunha ainda no primeiro tempo.

Brasil: Santos, Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz, Bruno Guimarães, Claudinho (Malcom) chutou e Antony (Reinier); Matheus Cunha (Paulimho) e Richarlison. Técnico: André Jardine
Egito: El Shenawy; Osama Galal, Hegazy, El Wench; El Araki (Ashour), Akram Tawfik, Ammar Hamdy, Ramadan Sobhi, Taher Mohamed (Maher) e Fotouh; Rayan (Mohsen). Técnico: Shawky Gharib

Gol: Matheus Cunha, aos 37 minutos do primeito tempo.

Cartão amarelo: Antony (Brasil) Akram (Egito)

Local: Saitama, Japão

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos esportes e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles.

Vídeos
Últimas notícias