Tico Santta Cruz em carta aberta a Gusttavo Lima: “Estão lhe usando”

O vocalista da banda Detonautas Roque Clube se disse vítima de milícias digitais e aconselhou o sertanejo a "se atentar mais aos contratos"

atualizado 02/06/2022 17:15

Reprodução

Tico Santta Cruz, vocalista da banda Detonautas Roque Clube, decidiu se manifestar sobre a CPI do sertanejo, polêmica iniciada pela crítica de Zé Neto à tatuagem íntima de Anitta, e que levou o Ministério Público a investigar três shows de Gusttavo Lima pagos por prefeituras, ou seja, com dinheiro público.

Na tarde desta quarta-feira (1º/6), o roqueiro publicou uma carta aberta ao Embaixador, onde aconselha o mineiro a “se atentar mais aos contratos” que fecha e de onde virá os recursos que irão pagar as suas contas. Tico também instruiu o sertanejo a “não desistir” da carreira, em resposta ao vídeo onde Gusttavo Lima diz estar prestes a “jogar a toalha”, devido ao que considera ser uma perseguição de internautas contrários ao seu posicionamento político.

“Sabe Gustavo, vi trechos da sua live, e o quanto você está mexido com tanta exposição. Em dado momento, você disse que está sendo perseguido e que pensa inclusive em jogar a toalha. Não desista!”, começa Tico Santta Cruz.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Em trecho da carta aberta, Tico lembra ter sido vítima de uma milícia digital e quase encerrado a carreira artística por causa disso. “Desde 2014, venho sofrendo ataques sistemáticos de setores simpáticos ao que você defende. Quando as milícias digitais começaram a se formar, um dos primeiros artistas a ser atacado fui eu. […] Fui ameaçado de morte tantas vezes, que perdi a conta dos números de boletins de ocorrência que tive de fazer. Ao longo desses anos Gusttavo, tentaram me asfixiar financeiramente. Tive que vender a casa que levei anos para comprar, porque a covardia era tão grande que afetou muito meu trabalho, minha existência”, completa.

Então, se me permite, Gusttavo, posso lhe dar um conselho: aguenta firme, se não há nada que de fato venha a lhe incriminar — assim como nunca houve nada que pudesse me colocar na situação que me colocaram, logo a verdade virá à tona. Continue fazendo sua música, seus shows, levando seu entretenimento aos seus fãs, pois você é um artista e nós artistas vivemos do palco, da música, do sorriso dessa gente que tanto sofre nesse país, ainda mais agora. Não jogue a toalha

Tico Santta Cruz

Por fim, Tico Santta Cruz aconselha que Gusttavo Lima preste mais atenção aos contratos que fecha, e sugere que políticos estão usando o cantor para se beneficiar.

“Fique mais atento a como seu empresário e os contratantes, no caso, essas prefeituras e outros políticos, estão lhe usando para se beneficiar do seu enorme talento, e, claro, o quão imoral (veja bem, ilegal e imoral são palavras distintas) pode ser para um artista que desfruta de uma vida com tantos privilégios, aceitar esse tipo de grana. Se atente mais aos contratos, a quem está contratando e de onde está vindo o recurso que vai pagar suas contas”, conclui Tico.

Leia a carta aberta de Tico Santa Cruz na íntegra:

Entenda o caso

Tudo começou quando Zé Neto criticou Anitta e a Lei Rouanet no palco de um show. “Estamos aqui em Sorriso, no Mato Grosso, um dos estados que sustentaram o Brasil durante a pandemia. Nós somos artistas e não dependemos de Lei Rouanet, nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘toba’ para mostrar se a gente está bem ou não. A gente simplesmente vem aqui e canta e o Brasil inteiro canta com a gente”, afirmou o cantor, em vídeo que viralizou no Twitter e foi condenado por fãs da artista internacional, que já declarou ter feito uma tatuagem no ânus.

Com a repercussão, internautas passaram a vasculhar a vida da dupla e descobriram que o próprio show no qual Zé Neto criticou a política cultural foi pago com recursos públicos. De acordo com o Portal da Transparência da prefeitura de Sorriso, é possível verificar que houve uma inexigibilidade de licitação, o que significa que não houve concorrência para a contratação do serviço. Ainda de acordo com o documento, Zé Neto e Cristiano teriam recebido R$ 400 mil, o maior cachê entre todos os artistas que se apresentaram na Exporriso, evento gratuito para a população.

Respingou no Gusttavo Lima

Ministério Público de Roraima (MPRR) investiga a contratação do Gusttavo Lima pela prefeitura de São Luiz por R$ 800 mil. O órgão solicita, por meio da Promotoria de São Luiz, informações do município sobre como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para os moradores. A cidade tem cerca de 8 mil habitantes, logo, cada munícipe (entre crianças e adultos) pagou R$ 100 pelo show, que deve ocorrer na 24ª edição da vaquejada na cidade, em dezembro deste ano.

Na sexta (27/5), outro show do Embaixador passou a ser investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A apuração preliminar trata da contratação de um show de Gusttavo Lima no valor de R$ 1,2 milhão pela prefeitura da cidade de Conceição do Mato Dentro (MG).

Após a polêmica, o prefeito de Conceição do Mato Dentro (MG), José Fernando Aparecido de Oliveira, conhecido como Zé Fernando, anunciou o cancelamento do show do cantor Gusttavo Lima e Bruno & Marrone na cidade.  Mesmo assim, a cidade precisará desembolsar o valor milionário para pagar o esposo da influenciadora Andressa Suita. Isso porque o contrato firmado entre a prefeitura e o Embaixador, como o artista é conhecido, previa R$ 600 mil no ato da assinatura, que já foi pago, e uma multa em caso de cancelamento, de 50% do valor global.

Nessa segunda (30/5), após ter outro show, desta vez em Magé (RJ), também sob investigação, Gusttavo Lima decidiu se manifestar. Ele disse ser vítima de perseguição e estar muito abalado com as críticas que vem sofrendo. Acusado de dar início à confusão,  Zé Neto saiu em defesa de Gusttavo Lima: “Joga pra mim, irmão”.

Mais lidas
Últimas notícias