Historiadoras lançam livro sobre a tragédia da gripe espanhola no Brasil

A Bailarina da Morte sai pela Companhias das Letras

atualizado 26/09/2020 7:04

Renato Parada/Divulgação

A historiadoras Lilia Moritz Schwarcz e Geloisa Murgel Starling lançam o livro A Bailarina da Morte – A Gripe Espanhola no Brasil, pela Companhia das Letras.

A partir de um vasto acervo de fontes e imagens da época, as autoras recriam o cotidiano da vida e da morte durante o reinado de terror da “gripe bailarina”, uma das maiores pandemias da história.

Altamente contagiosa, a moléstia atingiu todas as regiões brasileiras. A “influenza hespanhola” paralisou a economia e desnudou a precariedade dos serviços de saúde. Disputas políticas e atitudes negacionistas de médicos e governantes potencializaram o massacre, que vitimou sobretudo os pobres. Iludida por estatísticas maquiadas e falsas curas milagrosas, a população ficou à mercê do vírus até o súbito declínio da epidemia, no começo de 1919.

A doença chegou ao Brasil a bordo de navios vindos da Europa. A gripe espanhola, como ficou conhecida a explosão pandêmica de uma mutação particularmente letal do vírus H1N1, matou dezenas de milhares de pessoas no país e cerca de 50 milhões no mundo inteiro.

Número de páginas: 368
Tiragem: 10 mil
Preço: R$ 59,90
E-Book: R$ 29,90
Lançamento: 09/10/20

Últimas notícias