UnB planeja adotar passaporte da vacina no retorno presencial

Se houver exigência do cartão de vacina, a orientação é de que exista opção de atividade ou trabalho de forma remota

atualizado 29/10/2021 12:29

UnBRafaela Felicciano/Metrópoles

A Universidade de Brasília (UnB) debate resolução que orienta sobre o retorno presencial aos câmpus. A minuta em discussão prevê a exigência de passaporte da vacina contra Covid-19 para entrar na Biblioteca Central (BCE) e no Restaurante Universitário (RU) do Câmpus Darcy Ribeiro, por exemplo. A data da retomada das atividades, no entanto, ainda não está definida.

As unidades ainda devem regulamentar internamente, e o cartão de vacina pode ser exigido em alguns espaços da universidade.

A resolução foi discutida nessa quinta-feira (28/10). Na próxima reunião do Conselho de Administração da UnB, a proposta poderá ser aprovada com alterações.

De acordo com a UnB, se houver exigência do passaporte vacinal, a orientação é de que haja para o estudante ou servidor opção de atividade ou trabalho de forma remota. A intenção é viabilizar o possível retorno dos alunos às salas de aula no próximo semestre, o 2º/2021, previsto para começar em 17 de janeiro.

“Em trabalho remoto poderão permanecer grupos de risco, por meio de autodeclaração. Estão listados, por exemplo, tabagistas, obesos e pessoas com mais de 60 anos”, pontuou a universidade.

0

Além disso, a orientação é de que as unidades e os centros sigam o Plano Geral de Retomada das Atividades, o Guia de Biossegurança, os planos de contingência e as legislações distrital e federal, além das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A minuta define, ainda, as atividades essenciais, como saúde, segurança, limpeza, BCE e RU. Segundo a universidade, as unidades deverão disponibilizar, nos canais oficiais, a organização sobre a quantidade de trabalhadores em regime presencial e remoto.

Mais lidas
Últimas notícias