Sem óbitos, DF tem queda de 80,4% nos casos prováveis de dengue

Foram registradas 3.265 notificações contra 16.691 no mesmo período de 2020. Região de Planaltina concentra maior número de casos

atualizado 19/04/2021 11:31

mosquito da denguedimarik/Istock

O Distrito Federal registrou 3.265 casos prováveis de dengue até a 13ª semana de 2021 (3/4). Comparado ao mesmo período de 2020, em que foram notificados 16.691 casos prováveis, houve queda de 80,4%.

As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (19/4), no boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde. Os dados são referentes às notificações no DF ocorridas entre as Semanas Epidemiológicas 01 a 13 (03/01/2021 a 03/04/2021).

A região que apresentou o maior número prováveis de casos foi Planaltina, com 668. Ceilândia registou 360 casos; Sobradinho II, 282; Sobradinho, 276; e Samambaia, 169 casos. Estas cinco regiões apresentaram 1.755 casos prováveis, ou seja, 53,8% do total no DF.

Foram confirmados 32 casos de dengue com sinais de alarme e 2 casos graves até a 13ª Semana Epidemiológica de 2021. Não houve registro de óbito; em 2020, no entanto, foram registrados 14 mortes no mesmo período.

0
Como prevenir

melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito, eliminando água armazenada em pontos que podem se tornar possíveis criadouros.

Vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas e até recipientes pequenos, como tampas de garrafas, podem conter larvas do mosquito.

Para quem vai viajar nas férias de julho, a orientação é substituir a água dos pratos dos vasos de planta por areia, deixar a caixa d´água tampada e cobrir todos os grandes reservatórios de água, como as piscinas.

Sintomas

Os principais sintomas da dengue são febre alta (acima de 38,5ºC), dores musculares intensas, dor nos olhos, mal estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo.

A infecção pode ser sem sintomas, leve ou grave. Se for grave, a doença pode provocar perda de peso, náuseas e vômitos.

O paciente com dengue precisa fazer repouso, ingerir bastante líquido (água) e não tomar medicamentos sem indicação médica.

Últimas notícias