Covid-19: GDF volta atrás e inclui policiais e professores na lista de vacinação prioritária

Seguindo Ministério da Saúde, GDF havia retirado os profissionais da 1ª fase de imunização contra a Covid-19; agora, reconsiderou a decisão

atualizado 15/01/2021 16:50

vacina covidHugo Barreto/Metrópoles

Após forte pressão de policiais e professores, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decidiu que não vai seguir orientação do Ministério da Saúde sobre a exclusão desses profissionais da lista prioritária de vacinação contra a Covid-19. A Secretaria de Saúde havia anunciado, na quarta-feira (13/1), que as categorias estavam fora da primeira fase de imunização.

No entanto, em reunião realizada com o secretário Osnei Okumoto, no fim da manhã desta sexta-feira (15/1), o chefe do Executivo local disse que vai seguir o plano do ministério em todos os outros quesitos. Porém, manterá policiais civis e militares, bombeiros e professores na lista de prioridades, por eles estarem na linha de frente do combate à Covid-19.

Após receber a informação, o Sindicato dos Delegados de Polícia do DF (Sindepo) divulgou nota sobre a decisão do governador: “Os Delegados de Polícia do DF receberam com grande satisfação a informação de que o governador Ibaneis Rocha determinou à SES/DF a reinserção dos profissionais da segurança pública nos grupos prioritários de vacinação”.

Nesta sexta-feira, o Metrópoles publicou uma série de protestos de sindicatos e associações de professores, bombeiros e policiais civis e militares, os quais repudiam a exclusão das categorias do grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19. Eles discordam da decisão da Secretaria de Saúde (SES-DF) sobre a mudança do Plano Estratégico e Operacional da Vacinação no Distrito Federal.

No total, os 78.275 trabalhadores dessas categorias ficariam de fora das primeiras vacinas. “Queremos o retorno das aulas presenciais, mas com toda segurança, testagem e vacinação dos profissionais da educação”, afirmou o diretor do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF), Samuel Fernandes, ao Metrópoles.

Veja vídeo:

 

Últimas notícias