metropoles.com

Comissão de Ética da CLDF arquiva processo contra Liliane Roriz

Por 3 votos a 1 e uma abstenção, distritais aceitaram a recomendação do corregedor, Rafael Prudente (PMDB), e encerraram a ação contra a colega

atualizado

Compartilhar notícia

Felipe Menezes/Metrópoles
comissão de ética
1 de 1 comissão de ética - Foto: Felipe Menezes/Metrópoles

Minutos após o Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) absolver o clã Roriz de uma ação por improbidade administrativa, a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa (CLDF) definiu, por 3 votos a 1 e uma abstenção, arquivar o processo de cassação do mandato da deputada distrital Liliane Roriz (PTB).

Votaram a favor do arquivamento Raimundo Ribeiro (PPS), Wellington Luiz (PMDB) e Telma Rufino (sem partido). O presidente da comissão, Ricardo Vale (PT), foi o único que votou pela continuidade do processo. O deputado Lira (PHS) se absteve.

Ao abrir a sessão e ler seu voto, Ricardo Vale afirmou que a Câmara e a Justiça são instituições independentes, por isso a absolvição de Liliane na Justiça não poderia ser argumento para o arquivamento do processo que tramitava na CLDF. “Sinto-me no dever de atender à expectativa da população e dos segmentos sociais organizados, a fim de que se esclareçam as denúncias ora apresentadas”, explicou.

No entanto, os demais integrantes do colegiado tiveram entendimento diferente e seguiram o parecer do corregedor da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente (PMDB). Em 3 de outubro, o distrital desmembrou as denúncias contra Liliane e recomendou o arquivamento do pedido de cassação contra colega alegando que há, na Justiça Eleitoral, um processo em curso que pede a perda do mandato de Liliane por falsidade ideológica e compra de votos. Sobre a outra parte da denúncia — que se referia ao processo de improbidade administrativa do qual Liliane foi absolvida no TJDFT —, Prudente recomendou o sobrestamento (suspensão) da análise até que houvesse decisão judicial.

Depois de Ricardo Vale, foi a vez de Raimundo Ribeiro votar. Ribeiro foi contrário ao andamento do processo, alegando ser “um conhecedor das leis” e que, “por esse motivo não poderia acusar ninguém antes que se provasse a culpa”. Wellington Luiz seguiu a linha de que “cabe à Justiça” definir se a Liliane é ou não culpada, e também votou pelo arquivamento do pedido de cassação.

Lira pediu vista do processo e quis o adiamento da sessão. No entanto, o presidente do colegiado, Ricardo Vale, deu prazo de 30 minutos para que o colega tomasse uma decisão e anunciasse o voto. Após o intervalo, Lira se absteve. Por fim, Telma Rufino também votou pelo arquivamento do pedido de cassação.

Nota de Liliane
Por meio de nota, Liliane Roriz comemorou a absolvição.

A melhor defesa do inocente é a verdade. Sempre tive a certeza de que Deus mostraria a minha inocência. Nunca tive dúvidas de que a verdade prevaleceria e seria enxergada por todos. Pelos desembargadores do TJDFT e pelos meus colegas de parlamento

Liliane Roriz

Cassação
O pedido de cassação do mandato de Liliane havia sido uma iniciativa da ONG Adote um Distrital, que ingressou com a ação popular no início do ano. Entre os motivos apresentados pela entidade no documento protocolado na Câmara Legislativa, a ONG mencionava a condenação no Tribunal Regional Eleitoral do DF (TRE-DF) por falsidade ideológica e compra de votos referente às eleições de 2010. Atualmente, o caso tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que analisará recurso da deputada.

Outro argumento da ONG dizia respeito ao episódio em que a filha do ex-governador Joaquim Roriz foi acusada de receber apartamentos em Águas Claras em um esquema de corrupção que envolveu a concessão de um empréstimo de R$ 6,7 milhões do Banco de Brasília (BRB) à construtora WRJ Engenharia. Além de Liliane, as irmãs, um sobrinho e o pai foram absolvidos, nesta quarta (19), dessa acusação em julgamento no TJDFT.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações