Pacote de desburocratização e privatizações estão na pauta do GDF

Anúncios foram feitos pelo governador, Ibaneis Rocha (MDB), em dois eventos visitados por ele neste sábado (27/07/2019)

DANIEL FERREIRA/METRÓPOLESDANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

atualizado 27/07/2019 14:45

O Governo do Distrito Federal (GDF) prepara um pacote para reduzir a burocracia na gestão pública brasiliense. O governador, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou a iniciativa durante a Conferência Global 2019, organizada pela Comunidade das Nações na manhã deste sábado (27/07/2019), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. “Nós estamos trazendo o projeto iniciado pelo [secretário de Justiça] Gustavo Rocha, que foi ministro dos Direitos Humanos da Presidência da República, e queremos lançá-lo ainda no segundo semestre deste ano”, assinalou Ibaneis.

Gustavo Rocha chegou a ser responsável temporariamente pela Casa Civil do DF. De acordo com o governador, o programa de desburocratização passará pela adoção e compra de tecnologias novas. Para Ibaneis, a burocracia tem sido um entrave a diversos projetos do GDF, indo de grandes obras até pautas sociais, a exemplo da regularização fundiária de templos religiosos.

Segundo o emedebista, atualmente, o governo analisa 451 pedidos de legalização. Desse total, disse, 80 dependem do lançamento do programa Moeda Social. Promessa de campanha, o projeto consiste na regularização dos templos em troca de parcerias em programas sociais do GDF. O governador também promete incluir lotes para a construção de novas igrejas, nos próximos projetos urbanos e habitacionais do GDF.

Sobre a Comunidade das Nações, o chefe do Executivo local elogiou o fato de o grupo cristão buscar aliar a fé com empreendedorismo e tecnologia. “Gosto dessa visão. Não é só ajudar as pessoas, mas dar também um futuro a elas”, resumiu. Pelas contas dos organizadores do evento, 15 mil pessoas visitaram os estandes de venda de produtos e 4 mil participaram das conferências, entre a última terça-feira (23/07/2019) e este sábado.

Câmara Legislativa

Depois do evento, Ibaneis foi ao Parque de Exposições da Granja do Torto, onde ocorria o Brasília Capital Moto Week. No local, ele falou sobre o retorno aos trabalhos na Câmara Legislativa, a partir de 1º de agosto. De acordo com o gestor, os projetos de privatização serão as principais pautas do GDF no segundo semestre deste ano.

“Nós vamos ter um enfrentamento muito positivo, na questão das privatizações. Principalmente, no que diz respeito à questão da Caesb e do Metrô”, pontuou. O governo também estuda fazer as concessões da CEB Distribuição e da Rodoviária do Plano Piloto.

Durante a visita, o emedebista encontrou e fez questão de cumprimentar o ex-governador Agnelo Queiroz (PT). Depois do longo abraço, o petista declarou que é amigo de longa data de Ibaneis. “O governo dele está no início, e tem muito pouco tempo para se avaliar o governo. Primeiro, tem que deixar o cara trabalhar. Tem só sete meses de governo, e ele pegou uma terra arrasada”, comentou Agnelo.

Capital Moto Week

Os motociclistas estavam apreensivos quanto ao futuro do Capital Moto Week, uma vez que o GDF pretende transformar a Granja do Torto em polo agropecuário. No entanto, segundo Ibaneis, o evento terá todo apoio do governo em 2020.

Inicialmente, o Palácio do Buriti vai negociar a permanência da atração na granja. Caso a alternativa não seja viável, será disponibilizada outra área. “Vocês não tenham dúvida: esse evento vai permanecer em Brasília”, cravou.

Na edição deste ano, o Capital Moto Week recebeu 750 mil visitantes. Pelas contas parciais dos organizadores, movimentou aproximadamente R$ 50 milhões. O evento acaba na noite deste sábado.

Últimas notícias