GDF encerra licitação para Museu da Bíblia sem projeto aprovado

De acordo com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa, "o resultado final da licitação restou como fracassado"

atualizado 27/10/2021 17:38

Entrada da Secretaria de Cultura do DFRafaela Felicciano/Metrópoles

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) deu como encerrado o concurso público para escolha do projeto de arquitetura do Museu da Bíblia após nenhum dos projetos inscritos serem aprovados. Nas palavras da pasta, “o resultado final da licitação restou como fracassado”.

A divulgação do fim do certame acaba com uma discussão que começou ainda em 2019 no Distrito Federal. Com orçamento previsto de R$ 26 milhões, a edificação do monumento foi alvo de batalhas judiciais e divergências entre parlamentares da Câmara Legislativa do DF (CLDF).

No mês passado, a secretaria já tinha divulgado o resultado dos estudos preliminares da comissão julgadora que avaliou todos como “insatisfatórios”. Os arquitetos Mafalda Fabiene Ferreira Pantoja, Leonardo Pirillo Inojosa e Patrícia da Silva Fiuza Pina, membros da comissão, apresentaram o parecer. Em comum acordo e unanimidade de pareceres, a comissão entendeu que os projetos apresentados “não são satisfatórios quanto ao atendimento dos critérios pré-estabelecidos tanto no Termo de Referência do Concurso do Museu Nacional da Bíblia, quanto no Edital de Concurso nº 22/2020 – SECEC/DF”.

No documento, os arquitetos ressaltam a “baixa qualidade em termos de Conceito e Inovação, uma vez que nenhuma das propostas consolida o objetivo e temática proposto pela relevância do tema “Bíblia” e sua possibilidade de estimular a reflexão acerca da influência do “livro sagrado”, bem como a relevância e alcance que a temática oferece, muito bem elucidados no Termo de Referência”.

A comissão julgadora ainda chama atenção para “incoerências primárias como: falta de aberturas principais de acesso, falta de definição básica de entorno de acesso, ou mesmo incoerência de elementos estruturais”.

O grupo de arquitetos finaliza pontuando que entende que os projetos apresentados não apresentam coerência com as bases do concurso. “Portanto, de acordo com prerrogativa do item 11.14 do Edital de Concurso nº 22/2020 – SECEC/DF, a Comissão Julgadora não aprova os trabalhos recebidos, caracterizando-os como ausentes de qualidade mínima esperada para o objeto do concurso, entendendo então, a licitação como fracassada”, conclui.

Confira o parecer na íntegra:

Parecer – Museu da Bíblia by Metropoles on Scribd

 

Mais lidas
Últimas notícias