*
 

A revolta com o assassinato da estudante Raphaella Noviski, 16 anos, na segunda-feira (6/11), em uma escola de Alexânia (GO), não se restringe apenas aos familiares e amigos da vítima. Na noite desta terça (7), moradores que passavam em frente ao presídio da cidade ouviram detentos fazendo ameaças contra o assassino confesso da jovem, Misael Pereira, 19 anos: “Vai morrer”.

Segundo relatos feitos por habitantes de Alexânia ao Metrópoles, os presos gritaram a frase por algumas horas. As ameaças podiam ser ouvidas de fora da unidade penitenciária. “Nunca vi isso por aqui. Estamos assustados”, contou um morador, que pediu para não ter o nome divulgado.

A prisão preventiva de Misael Pereira foi decretada nesta terça após audiência de custódia. Ao chegar ao Fórum da Comarca de Alexânia (GO), o jovem estava com um olho roxo. Ao juiz, afirmou que havia caído no banheiro da cela.

Crime
A estudante Raphaella Noviski foi morta com 11 tiros por volta das 8h de segunda-feira (6), enquanto assistia a uma aula no Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia. O assassino confesso da jovem pulou o muro da escola, entrou na sala onde a vítima estava e disparou, causando pânico entre funcionários e alunos.

Segundo as investigações, o homicídio foi motivado por rejeição amorosa, já que o acusado cortejou a vítima em diversas ocasiões, sem sucesso.

Após o crime, ele foi preso pela Polícia Militar da cidade e confessou o assassinato. Misael deve responder por feminicídio e, caso seja condenado, pode pegar até 30 anos de reclusão.

 

 

COMENTE

ameaçaspresídioAlexâniamisael pereira
comunicar erro à redação