Cerrado em chamas: incêndio fecha Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Segundo os bombeiros, as chamas estão se alastrando rapidamente, trazendo riscos à população que vive e visita a região

atualizado 02/10/2020 15:39

Incêndio na Chapada dos VeadeirosMaterial Cedido ao Metrópoles

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros será fechado temporariamente para visitação a partir desta sexta-feira (2/10), após um incêndio florestal avançar pela região nos últimos dias. O local ficará interditado, inicialmente, até domingo (4/10).

Em nota, a assessoria de imprensa do parque informou seguir determinação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que alertou sobre o incêndio florestal que está próximo aos atrativos turísticos do rio Preto.

Brigadistas de incêndio do Parque e voluntários, coordenados pelo ICMBio, atuam desde a manhã de quinta-feira (1º/10) para que o fogo seja controlado o quanto antes e cause mais danos ao local e à região. Na área externa da Chapada, o combate às chamas está sob responsabilidade do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

De acordo com o Tenente Dias, responsável pelo CBMGO no local, os militares atuam desde o último dia 28 na Área de Preservação Ambiental (APA) de Pouso Alto, localizada ao redor do parque, próximo ao município de Cavalcante (GO). Segundo ele, as chamas estão se alastrando rapidamente, trazendo riscos à população que vive na região.

“Está ventando muito e a umidade está baixa, então a propagação está sendo muito rápida. O fogo está se alastrando próximo ao povoado de Capela e de rio Preto, onde há moradores”, ressaltou.

No início do combate, a corporação estava atuando com 12 militares por dia. Desde essa quinta-feira, a média subiu para 30 profissionais na linha de frente. “Nesta manhã, temos 27 bombeiros atuando. Ao final do dia, serão 31”, comentou. “Vamos continuar trabalhando até a extinção do incêndio”, completou Dias.

“Dramático”

Morador de Alto Paraiso de Goiás (GO), Ivan Anjo Diniz, 49 anos, é um dos coordenadores da ONG Rede Contra Fogo, rede de brigadistas voluntários que atuam no combate em apoio ao ICMBio. Segundo ele, algumas pessoas que vivem no povoado de Capela, localizado entre Colinas do Sul e Cavalcante, já chegaram a perder suas casas por conta do incêndio.

“Está sendo dramático. Hoje (2/10), estão chegando aviões para ajudar dando apoio, porque o trabalho já estava impossível. O cheiro de fumaça fica presente o dia todo por aqui e ainda estamos em um período muito seco e quente. Então, os combates estão sendo muito difíceis”, narrou.

De acordo com ele, a ONG precisa de ajuda financeira para seguir atuando no combate ao fogo na região. Doações para a Rede Contra Fogo podem ser feitas no site da organização. “Para todos nós é uma tristeza muito grande. Imaginamos o tanto de animais que estão morrendo. Além disso, o fogo já chegou muito próximo de nascentes do São Miguel, que é o rio que abastece [Vila de] São Jorge”, contou Diniz.

“Está tudo conectado. Os incêndios e esse aumento de temperatura nos mostram a urgente necessidade de uma mudança na nossa forma de viver. Precisamos começar a ter ações mais sustentáveis, porque o planeta está gritando por ajuda”, ressaltou.

0
Incêndios na Chapada

Há exatos três anos, em outubro de 2017, um incêndio devastador arrasou fauna e flora na Chapada. Foram queimados 65 mil hectares de terra, cerca de 30% da área total da reserva. A Prefeitura Municipal de Alto Paraíso de Goiás (GO) chegou a declarar situação de emergência no município.

No ano passado, em setembro, outro incêndio também atingiu o local. Dessa vez, em menor proporção – as chamas destruíram cerca de 6,5 mil hectares de vegetação -, porém com prejuízos ecológicos incalculáveis.

Mais lidas
Últimas notícias