metropoles.com

GDF lança edital para fornecimento de Wi-Fi gratuito em 112 pontos

As empresas interessadas têm 30 dias, a partir da publicação do edital, para elaborar as propostas. Não haverá ônus ao governo

atualizado

Compartilhar notícia

Felipe Menezes/Metrópoles
wi-fi6
1 de 1 wi-fi6 - Foto: Felipe Menezes/Metrópoles

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação lançou edital para fornecimento de internet gratuita por meio de sinal Wi-Fi em pelo menos 112 pontos do Distrito Federal. A ideia de é que o sinal chegue a hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (Upas), terminais rodoviários, feiras e estações do metrô, além de outros locais com circulação de pessoas. O programa foi batizado de Wi-Fi Social DF.

A pasta abriu o credenciamento para empresas que queiram celebrar contrato administrativo por um período de 60 meses, que pode ser prorrogado. Não haverá ônus para o Governo do Distrito Federal (GDF) e, em troca, poderá ser explorada a publicidade digital e presencial por meio das placas e postes destinados ao Wi-Fi. Os usuários terão disponibilidade ao serviço de internet por, no mínimo, 30 minutos.

O número de pontos pode aumentar em razão do interesse das empresas e de solicitações de outros órgãos públicos, como administrações regionais e parques.

As interessadas podem apresentar as propostas pessoalmente na sede da secretaria, na Asa Norte, a partir de 30 dias após a publicação do edital, que ocorreu nessa terça-feira (26/2). Os projetos serão analisados em 20 dias. Será aceita, inclusive, participação de consórcios, desde que atendidas as exigências legais.

De acordo com o edital, não há exclusividade. “Podem ser duas pessoas jurídicas explorando o mesmo ponto, por exemplo”, explicou o titular da secretaria, Gilvam Máximo

A expectativa da equipe da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação é de que o projeto comece a funcionar em 50 dias no terminal. No Parque da Cidade, 1 mil pessoas poderão se conectar ao mesmo tempo.

Sinal Livre
Não é a primeira proposta do GDF de implantar Wi-Fi grátis em locais públicos. Entretanto, iniciativa anterior que contemplava o Parque da Cidade e a Rodoviária do Plano Piloto, por exemplo, não agradou a população por não funcionar direito. Divulgado em 2013 pelo então governador Agnelo Queiroz (PT), o serviço custou R$ 26,7 milhões com a contratação de equipamentos, infraestrutura, manutenção, suporte e demais serviços.

Em 2016, o Tribunal de Contas do DF (TCDF) reprovou o Projeto Rede Metropolitana Sem Fio, conhecido como Sinal Livre. Em inspeção, o corpo técnico do órgão encontrou diversas falhas, dificuldade de acesso e risco de desperdício de recursos públicos investidos no projeto. De acordo com a secretaria, os equipamentos comprados naquela época poderão ser reutilizados.

Confira abaixo a lista com os locais contemplados pelo edital:

Reprodução/DODF

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações