Caiado diz que quadrilha mantinha Lázaro escondido: “Não era lobo solitário”

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, afirmou que policiais estão em busca de quadrilha ligada ao maníaco Lázaro Barbosa

atualizado 28/06/2021 15:04

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM)Vinícius Schmidt/Metrópoles

Após a morte de Lázaro Barbosa, 32 anos, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), disse que as forças de segurança do estado estão atrás de uma quadrilha que tinha “interesse em manter o psicopata sob seu comando”. As informações foram dadas por Caiado em entrevista ao programa Balanço Geral, da Record, nesta segunda-feira (28/6).

Agora, além do Lázaro, estamos desbaratando uma grande quadrilha que tinha interesse em manter esse psicopata sob o seu comando para fazer o terrorismo na região“, afirmou Caiado.

Caiado disse que Lázaro não era um “lobo solitário” e outras pessoas davam cobertura ao maníaco. “Ele estava muito bem alimentado, tinha condições de passar a noite em alguns locais, era muito bem informado, tinha telefone celular com bateria recarregada. Tudo isso mais os R$ 4,4 mil em seu bolso mostram que toda uma estratégia estava sendo montada para tirá-lo do cerco e levá-lo para outro lugar do país”, destacou.

Segundo o governador, após a captura do maníaco, agora se inicia uma segunda etapa do trabalho policial, com articulação das forças de segurança e de inteligência para descobrir a quem interessava a fuga de Lázaro e por qual motivo ele “era usado quase como pistoleiro profissional”.

Caiado afirmou que o major Edison – responsável pelo cerco que resultou na captura de Lázaro – informou a ele que quem iniciou o tiroteio foi o maníaco. Lázaro chegou ao hospital sem vida.

“O major Edison me relatou que, tão logo se aproximaram dele [Lázaro], ele tinha a visão de todos os policiais e quem iniciou o tiroteio foi exatamente ele [Lázaro], que tinha uma pistola .380. E aí foi revidado pela equipe comandada pelo major Edison – tenho quase certeza de que eram, no total, cinco policiais”, detalhou o governador de Goiás.

Entenda

Suspeito de matar uma família no Distrito Federal e balear outras cinco pessoas numa série de assaltos em chácaras na capital do país e em Goiás, Lázaro Barbosa de Sousa foi morto durante confronto com forças policiais na manhã desta segunda, numa mata nas imediações da casa da ex-sogra, em Águas Lindas (GO).

O corpo foi levado para o Hospital Bom Jesus, em Águas Lindas. Após o confronto no matagal, Lázaro ainda chegou a ser socorrido e levado a uma viatura do Corpo de Bombeiros, mas não resistiu. Imagens obtidas pelo Metrópoles mostram o momento em que o maníaco chega à unidade policial em uma maca.

Confira imagens da movimentação em Águas Lindas de Goiás após a captura de Lázaro:

0

Últimas notícias