Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Com baixo estoque, Saúde do DF pede 200 mil luvas emprestadas ao Iges

Intenção é evitar que haja colapso no sistema com o desabastecimento do material, que é objeto de cinco processos licitatórios em curso

atualizado 07/10/2020 14:55

mãos vestindo luvas hospitalaresRafaela Felicciano/Metrópoles

O baixo estoque de luvas cirúrgicas e não cirúrgicas e a demora para a entrega do novo lote do material adquirido fizeram com que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal tomasse uma medida enérgica: solicitar o empréstimo de 100 mil pares do item ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF). O desabastecimento foi revelado pela coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles.

Por meio de um ofício, o novo subsecretário de Logística em Saúde, Artur Felipe Siqueira de Brito, argumenta sobre a dificuldade para a compra não apenas de medicamentos mas também de materiais hospitalares. Assim, pede apoio ao instituto que administra o Hospital de Base, o de Santa Maria e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal.

“Os itens em tela são indispensáveis para a continuidade das atividades-fim da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e também para o enfrentamento da emergência em saúde pública e pandemia declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em decorrência do novo coronavírus”, escreveu o gestor ao superintendente do Iges-DF, Maílson Veloso Sousa.

De acordo com o pedido, serão dois lotes de 100 mil pares cada: um com luvas de procedimento não estéreis, de látex, tamanho grande e outro com a mesma quantidade do produto similar, mas de tamanho médio.

0
Processos licitatórios

Para tentar estancar uma possível crise de abastecimento, cinco processos licitatórios foram abertos pela Secretaria de Saúde e estão em andamento. Há, ainda, a expectativa de que as compras já realizadas sejam entregues antes de o estoque alcançar níveis ainda mais preocupantes.

Um processo anterior chegou a ser concluído, mas a fornecedora decidiu cancelar a nota de empenho, justamente por não ter o material para pronta entrega. Nesse caso, o processo foi cancelado e a pasta abriu uma nova compra.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Saúde decidiu controlar a logística de distribuição não apenas de equipamentos de proteção mas também de insumos, com o objetivo de tentar conseguir o uso mais racional dos materiais para todas as unidades da rede pública.

O que dizem os envolvidos?

Procurado, o Iges-DF confirmou, por meio da assessoria de imprensa, a recente investida da Secretaria de Saúde e adiantou que ainda analisa o pedido.

“Considerando que toda a rede de saúde pública do Governo do Distrito Federal (GDF) trabalha em conjunto para enfrentar a pandemia, a solicitação poderá ser atendida sem que isso venha a comprometer o abastecimento das unidades administradas pelo Iges-DF”, explicou.

Ainda conforme a nota encaminhada à coluna, o instituto ressaltou que, “conforme explicitado no ofício, que se trata de empréstimo (e não de doação), que o material solicitado será reposto e que a Secretaria de Saúde já está adotando todas as medidas para adquirir o referido produto e recompor os estoques o mais breve possível”.

Já a Secretaria de Saúde explicou que, no momento, existem vários processos de aquisição de luvas em andamento, tanto itens de procedimento quanto estéreis.

“Devido à dificuldade de aquisição, os altos valores praticados pelo mercado, a baixa oferta e o aumento do consumo devido à pandemia da Covid-19, além dos processos de aquisição regular, também tramitam processos de aquisição emergencial”, pontou.

Além disso, segue a nota, “a pasta tem lidado tanto com a inexecução (não entrega), quanto solicitação de realinhamento de preços por parte dos fornecedores, o que corrobora com a criticidade da situação atual”.

Últimas notícias