Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Pessimismo abate aliados de Bolsonaro no Planalto após pesquisas

Avaliação é que, no final do primeiro semestre, o presidente já deveria ter encostado em Lula

atualizado 13/06/2022 12:59

O presidente Jair Bolsonaro ajusta a gravata em cerimônia no Palácio do Planalto, com semblante sério e olhando para o lado - MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

Um forte pessimismo tomou conta do entorno de Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto. A avaliação da classe política que rodeia o presidente é que, ao fim do primeiro semestre, ele já deveria ter encostado em Lula, o que não foi visto em recentes pesquisas como Datafolha, Ipespe e Quaest.

Em abril, aliados de Bolsonaro chegaram a celebrar uma melhora nos índices de intenção de voto, mas essa evolução não teve continuidade e, em alguns levantamentos, o presidente oscilou negativamente.

Na última pesquisa Datafolha, no final de maio, Lula apareceu com 48% das intenções de votos válidos, e Bolsonaro, 27%, na estimulada. Na Ipespe, na semana passada, o ex-presidente teve 45% e o atual 34% também na estimulada. Já na Quaest, no mesmo tipo de pesquisa, divulgado nesta quarta-feira, o petista apareceu com 46% e Bolsonaro com 30%.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna