Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Vídeo. Desembargador sobre ato no QG do Exército: “Rebeldes e ignorantes”

O desembargador Souza Prudente disse não entender motivo de o Exército permitir acampamento de manifestantes contra resultado das eleições

atualizado 29/11/2022 16:08

Fotografia colorida de homem de terno em púlpito Divulgação/TRF-1

O desembargador federal e, atualmente, desembargador eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) Souza Prudente voltou a criticar a manifestação em frente ao Quartel General do Exército, em Brasília.

Durante sessão do TRE-DF na segunda-feira (28/11), Souza Prudente disse que não entende o motivo de o Exército permitir o acampamento no local, desde 30 de outubro. Ele chamou os manifestantes de “batalhão de rebeldes, inconformados e ignorantes”.

“Não entendo porque o QG do Exército mantém esse batalhão de rebeldes ali no seu território se cabe as Forças Armadas, pela Constituição da República, manter a ordem. Não poderia se admitir esse batalhão de rebeldes inconformados e ignorantes ao redor do QG do Exército”, disse o desembargador eleitoral.

Veja o vídeo: 

Prudente é desembargador do Tribunal Regional Federal da 1º Região (TRF-1). Ele foi indicado para compor o TRE-DF de 2022 a 2024.

Uma tarde no protesto em frente ao QG do Exército: Silveira discursa e comércio faz a festa

Os manifestantes protestam contra a eleição de Lula (PT) para presidente da República. Eles questionam a validade das eleições.

Inicialmente, a diplomação dos eleitos no Distrito Federal seria realizado no auditório do QG do Exército, espaço que já havia sido utilizado para a mesma finalidade em 2018.

Porém, Souza Prudente protestou contra o evento no local. Em seguida, o TRE-DF decidiu mudar a diplomação de endereço para o Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Mais lidas
Últimas notícias