Gente como a gente! No JN, Bonner reclama de ligações indesejadas

"É uma pena, porque eu não sou o Samuel, nem o Adailton e eu não sou a Jéssica, gente", disse ele, com bom humor

atualizado 22/10/2019 13:52

Se você não aguenta mais os serviços de telemarketing ligando no seu número para oferecer itens totalmente dispensáveis, saiba que não está sozinho. Até mesmo o editor do maior telejornal do Brasil sofre com esse martírio. E ele deixou isso bem claro durante o Jornal Nacional dessa segunda-feira (21/10/2019). Durante uma matéria sobre o tema, ele mandou uma indireta.

“É uma pena, porque eu não sou o Samuel, nem o Adailton e eu não sou a Jéssica, gente”, disse ele, com bom humor. “Já tem três nomes”, mandou Renata Vasconcellos, sem esconder o riso.
Pesquisa feita pela Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, revela que 92,5% dos brasileiros recebem ligações indesejadas de telemarketing.

Segundo os entrevistados, ao atender o telefone, a ligação cai ou fica muda em 85,8% dos casos fazendo com que 56,5% não saibam nem informar o motivo do contato e 55,6% não consigam identificar quem ligou.

Desde julho, consumidores do Distrito Federal podem acessar a página do Procon, órgão da Secretaria de Justiça e Cidadania, e cadastrar até cinco números de telefones fixo e celulares, sem nenhum custo, para bloquear o recebimento de ligações e de mensagens de telemarketing.

SOBRE O AUTOR
Rafael Campos

Jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Atuou como repórter e editor do Sistema Meio Norte de Comunicação, em seu estado, até 2010. Ao chegar a Brasília, trabalhou por cinco anos no jornal Correio Braziliense como repórter e colunista. Desde 2016, é social media no Metrópoles. Entre suas premiações, recebeu o 2º Prêmio Inovação de Jornalismo; o 1º Prêmio SBPT de jornalismo em Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), o Prêmio Sebrae de Jornalismo e o Goethe-Institut Journalism Award for Young Journalists.

Últimas notícias