Após polêmica de beijo gay em filme, Paulo Gustavo se manifesta

"Eu acho que estão mirando no alvo errado!", relatou o ator

Reprodução / InstagramReprodução / Instagram

atualizado 13/09/2019 10:03

Nas redes sociais, o nome de Paulo Gustavo foi um dos mais comentados do Twitter dessa quinta-feira (12/09/2019). Vários fãs do filme Minha Mãe é uma Peça, após ficarem sabendo que a cena de um beijo gay seria vetada, resolveram desabafar sobre o caso. Na ocasião, após todo o alvoroço, o ator resolveu se pronunciar por meio do seu Instagram. 

O ator explicou a ideia do filme: “Minha mãe é uma peça 3 é sobre como ‘Dona Hermínia’ vai lidar com seus filhos formando novas famílias! O Juliano é um dos filhos e o seu casamento é uma parte do filme! Muito importante, mas que está junto de outras questões que também acontecem na trama. Não é que exista a cena de um casamento, troca de alianças, ‘até que a morte os separe’ e só não há o beijo. Não existe essa cena dentro do filme. Existe um discurso emocionado dos noivos que é interrompido por Dona Hermínia — daquele jeito dela que vocês bem conhecem — para que ela se declare não só para Juliano, mas para toda a família. Após esse momento, já estão todos dançando e brindando e celebrando o amor não só dos recém-casados, mas da família toda”.

“Esse momento do casamento trata de uma coisa maior: o orgulho que essa mãe sente ao ver o filho seguir o caminho do amor e casando com quem ele ama! Eu quis botar esse trecho do casamento deles dois pra relembrar o que eu vivi e para, com isso, tentar inspirar e transformar outras famílias! Coisa que eu tenho feito todos esses anos em vários trabalhos!”, desabafou o ator.

Sobre os questionamentos, Paulo Gustavo disse: “Precisamos sim enfrentar e combater essa era raivosa e preconceituosa! Eu entendo esses questionamentos, acho legítimo e importante! Mas eu acho que estão mirando no alvo errado! Não sou ativista, militante, mas sou um ser político! Minha bandeira é minha vida! Sou gay, casado há 6 anos com Thales, meu marido, e somos muito felizes! Agora temos 2 lindos filhos e sou rodeado de amor! E é esse amor que eu quero espalhar pelo mundo!”.

Por fim, o ator deixa um vídeo gravado durante uma peça que fez ao lado de sua mãe. “E por falar em amor, em família, em respeito, em aceitação, quero compartilhar com vocês um vídeo da minha mãe no espetáculo que fazemos juntos. ‘O filho da mãe’, onde ela fala exatamente sobre isso!”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Gente, algumas pessoas estão questionando nas redes sociais o porquê de não haver uma cena de beijo gay no casamento do “Juliano”, filho da “Dona Hermínia”, no “Minha Mãe É Uma Peça 3”. Vamos lá. Quando comecei a escrever esse filme eu tinha uma caneta e uma folha em branco e não sabia por onde começar, mas pensei: quero falar sobre CASAMENTO GAY! Esse momento do casamento trata de uma coisa maior: o orgulho que essa mãe sente ao ver o filho seguir o caminho do amor e casando com quem ele ama! Sendo quem ele quer ser! Eu quis botar esse trecho do casamento deles dois pra relembrar o que eu vivi e pra com isso tentar inspirar e transformar outras famílias! Coisa que eu tenho feito todos esses anos em vários trabalhos! Mas voltando ao filme, Minha mãe é uma peça 3 é sobre como “Dona Hermínia” vai lidar com seus filhos formando novas famílias! O Juliano é um dos filhos e o seu casamento é uma parte do filme! Muito importante, mas que está junto de outras questões que também acontecem na trama. Não é que exista a cena de um casamento, troca de alianças, “até que a morte os separe” e só não há o beijo. Não existe essa cena dentro do filme. Existe um discurso emocionado dos noivos que é interrompido por Dona Hermínia – daquele jeito dela que vocês bem conhecem – para que ela se declare não só para Juliano mas para toda a família. Após esse momento, já estão todos dançando e brindando e celebrando o amor não só dos recém-casados mas da família toda. Precisamos sim enfrentar e combater essa era raivosa e preconceituosa! Eu entendo esses questionamentos, acho legitimo e importante! Mas eu acho que estão mirando no alvo errado! Não sou ativista, militante, mas sou um ser político! Minha bandeira é minha vida! Sou gay, casado há 6 anos com Thales, meu marido, e somos muito felizes! Agora temos 2 lindos filhos e sou rodeado de amor! E é esse amor que eu quero espalhar pelo mundo! E por falar em amor, em família, em respeito, em aceitação, quero compartilhar com vocês um vídeo da minha mãe no espetáculo que fazemos juntos “O filho da mãe”, onde ela fala exatamente sobre isso!❤️

Uma publicação compartilhada por paulogustavo31 (@paulogustavo31) em

Confira texto na íntegra: 

“Gente, algumas pessoas estão questionando nas redes sociais o porquê de não haver uma cena de beijo gay no casamento do Juliano, filho da Dona Hermínia, no Minha Mãe É Uma Peça 3. Vamos lá. Quando comecei a escrever esse filme eu tinha uma caneta e uma folha em branco e não sabia por onde começar, mas pensei: quero falar sobre casamento gay! Esse momento do casamento trata de uma coisa maior: o orgulho que essa mãe sente ao ver o filho seguir o caminho do amor e casando com quem ele ama! Sendo quem ele quer ser! Eu quis botar esse trecho do casamento deles dois pra relembrar o que eu vivi e pra com isso tentar inspirar e transformar outras famílias! Coisa que eu tenho feito todos esses anos em vários trabalhos!

Mas voltando ao filme, Minha mãe é uma peça 3 é sobre como Dona Hermínia vai lidar com seus filhos formando novas famílias! O Juliano é um dos filhos e o seu casamento é uma parte do filme! Muito importante, mas que está junto de outras questões que também acontecem na trama. Não é que exista a cena de um casamento, troca de alianças, até que a morte os separe e só não há o beijo. Não existe essa cena dentro do filme. Existe um discurso emocionado dos noivos que é interrompido por Dona Hermínia – daquele jeito dela que vocês bem conhecem – para que ela se declare não só para Juliano mas para toda a família. Após esse momento, já estão todos dançando e brindando e celebrando o amor não só dos recém-casados mas da família toda.

Precisamos sim enfrentar e combater essa era raivosa e preconceituosa! Eu entendo esses questionamentos, acho legitimo e importante! Mas eu acho que estão mirando no alvo errado! Não sou ativista, militante, mas sou um ser político! Minha bandeira é minha vida! Sou gay, casado há 6 anos com Thales, meu marido, e somos muito felizes! Agora temos 2 lindos filhos e sou rodeado de amor! E é esse amor que eu quero espalhar pelo mundo!

E por falar em amor, em família, em respeito, em aceitação, quero compartilhar com vocês um vídeo da minha mãe no espetáculo que fazemos juntos “O filho da mãe”, onde ela fala exatamente sobre isso!”

SOBRE O AUTOR
Estevan Furtado

Estudante de jornalismo no Centro Universitário Estácio. Já trabalhou como estagiário na Revista Evoke e na Comunicação Docial do Cindacta I. Possui curso de Empreendedorismo Júnior pela Universidade de Brasília (UnB) e de Social Media pelo Portal Publicitário.

Últimas notícias