Vídeo. Banhistas são surpreendidos por baleia em praia do Rio

Animal deu vários saltos e fez a alegria das pessoas. No mês passado, uma jubarte saltou diante de um grupo de canoístas na região

Banhistas que frequentavam a praia da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na manhã de domingo (30/06/2019), foram surpreendidos por saltos de uma baleia. Nas redes sociais, um kitesurfista mostrou o “balé” do animal, que ocorreu por volta das 11h30.

Ao jornal O Globo, Giovani Mancuso, de 37 anos, contou que surfa na região há 20 anos, e que já tinha visto todo tipo de animal, mas que baleia havia sido a primeira vez. “As imagens foram feitas com zoom 25x. Mas havia um pessoal de caiaque remando relativamente próximo, e na direção dela”, contou ele em entrevista.

Um vídeo foi postado por ele no YouTube e as imagens viralizaram. Nas redes sociais, outros internautas também postaram sobre a visão incrível da baleia que passou pela praia da Barra.

Em 18 de junho, sete canoístas tiveram uma surpresa quando navegavam pelo litoral da Barra da Tijuca. Uma baleia jubarte se aproximou e deu dois saltos diante do grupo, que compartilhou o vídeo de uma das piruetas na internet.

Japão volta a caçar baleias
Alegando que poucas espécies estão ameaçadas de extinção, o Japão iniciou hoje a primeira expedição de caça comercial de baleias. Após mais de 33 anos, o país asiático decidiu retomar a atividade oficialmente, considerada pelos mais nacionalistas como uma importante tradição multissecular. Em dezembro do ano passado, já havia deixado a Comissão Internacional das Baleias (IWC, na sigla em inglês).

Os primeiros barcos partiram do porto de Kushiro, cerca de cinco navios pequenos. A Agência Pesqueira do Japão informou que a frota capturará 227 baleias: 52 da espécie Minke, 150 de rorcual Bryde e 25 de rorcual comum. Acrescentou que não serão capturadas baleias em águas do oceano Antártico nem do hemisfério sul. Instituições de defesa dos animais veem com preocupação a retomada da pesca em grande escala. “Este é um dia triste para a proteção às baleias em todo o mundo”, afirmou Nicola Beynon, da Humane Society International, uma das maiores organizações do mundo em defesa dos animais.