metropoles.com

Vendas on-line crescem 47% no país em abril. Saiba como evitar fraudes

Os quatro setores que registraram as maiores altas foram: eletrônicos (66,10%), bebidas (54,27%), móveis (47,59%) e moda (41,40%)

atualizado

Compartilhar notícia

A disseminação do novo coronavírus mudou drasticamente a rotina de consumo dos brasileiros e intensificou as compras on-line por causa da imposição do isolamento social para conter o avanço da doença.

Passado o susto inicial com a situação, depois de queda de 20% no início da pandemia, o e-commerce brasileiro registrou crescimento de 47% no faturamento no mês de abril. O levantamento – feito pela Associação Brasileira de E-Commerce (ABComm) e pela Konduto – teve como base 25 milhões de pedidos de produtos físicos feitos em quatro mil lojas virtuais entre 1º de março e 25 de abril.

Os dados mostram que, no início da quarentena – entre 15 e 28 de março –, três setores se destacaram positivamente. Com as escolas fechadas e as crianças dentro de casa, o segmento de brinquedos teve alta de 434,7% nos pedidos. Supermercados também registraram aumento de 270,16%, tendo em vista que os vendas virtuais se tornaram excelente opção para quem não quer sair de casa.

O setor de artigos esportivos teve desempenho maior do que o usual e apresentou crescimento de 211,95%, o que revela a preocupação das pessoas em manter a forma durante o período de isolamento, seguido de farmácia, com incremento de 41,56%, e eletrodomésticos, com 4,47%.

Em contrapartida, as três maiores quedas de pedidos foram registradas nas áreas de bebidas (76,62%), autopeças (57,95%) e livrarias (46,43%).

Após mais de um mês da quarentena para a maioria dos estados, na última semana estudada, os quatro segmentos que registraram as maiores altas vendem majoritariamente produtos para casa e de uso pessoal: eletrônicos (66,10%), bebidas (54,27%), móveis (47,59%) e moda (41,4%).

Na variação de pedidos entre os períodos de 29 de março a 8 de abril e de 9 a 25 de abril, quatro setores apresentaram queda: farmácias (10,38%), óticas (10,2%), cosméticos (3,53%) e livrarias (1,91%). Entre os demais, eletrônicos (66,1%), bebidas (54,27%), móveis (47,59%) e moda (41,4%) são os que mais cresceram.

“O início do período de isolamento gerou bastante incerteza na população, e isso acabou provocando — entre outras coisas — um baque no e-commerce, em diversas categorias. Conforme as pessoas assimilavam a nova realidade, o ecossistema como um todo começou um processo de recuperação”, explicou Tom Canabarro, cofundador e CEO da Konduto.

“Algumas categorias ainda não conseguiram retomar o ritmo de vendas de antes da pandemia, mas outros segmentos (como farmácias e supermercados) estão assumindo novo protagonismo no comércio eletrônico brasileiro”, frisou.

Dicas para compras on-line

O advogado e especialista em direito do consumidor Victor Cerri alerta sobre a importância de atentar-se à credibilidade da plataforma na hora de realizar a compra. “Hoje em dia, é fácil pesquisar por meio de outros sites que fazem esse levantamento e classificam os índices de confiabilidade. Uma simples busca no Google resolve”, orientou.

Victor também destaca que é necessário conhecer a procedência do produto e a garantia que se tem, além de fazer comparativo de preços para minimizar a possibilidade de problemas. “Evite esse tipo de compra em máquinas públicas, que podem ter sistemas de espionagem instalados, e verifique os dados do próprio boleto da compra”, enfatizou.

“A forma mais correta de se munir para uma reclamação é guardar eventuais números de protocolos e contatos dos canais oficiais da empresa. Também é válido guardar e-mails, printar a tela do atendimento e entender se o site é confiável. Atentar-se para eventuais erros de português e qualidade de imagens, que podem acabar conotando uma possível ilegalidade”, concluiu Victor.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações